Percepção de corrupção agrava fase negativa do governo

João Bosco Rabello

07 de abril de 2014 | 14h00

Nova pesquisa Datafolha agrava a situação do governo, embora ainda não possibilite medir a influência de seus dados negativos na decisão do eleitor em outubro. Especialmente porque a transferência da insatisfação com o governo não parece ter migrado ainda para os demais candidatos.

No entanto, a nova consulta amplia a insônia do governo, por trazer a informação significativa de que 78% dos pesquisados consideram que há corrupção na Petrobrás e que 57% tomaram conhecimento das denúncias envolvendo a operação de compra da refinaria de Pasadena.

A percepção desses problemas, que já ficara demonstrada também em relação à economia,

é um abalo na convicção do governo de que poderia administrar os maus resultados de gestão até as eleições. Mas não está acontecendo assim.

O governo começa a perder a corrida contra o relógio que, antes, era estritamente voltada para a administração dos efeitos da economia no cotidiano do cidadão, mas agora foi acrescida de uma sucessão de escândalos que colocam na pauta do leitor o tema mais ameaçador para candidaturas: a corrupção.