Pausa para respirar

João Bosco Rabello

15 de maio de 2011 | 08h00

A visibilidade reconquistada com a participação decisiva no adiamento da votação do Código Florestal devolveu à ex-senadora Marina Silva algum fôlego na sua luta interna dentro do Partido Verde pela renovação de seu comando.

Mas prevalece ainda o prazo informal estabelecido  – até o final do ano – para que o atual presidente , deputado José Penna (SP), há 12 anos no cargo, cumpra as exigências feitas por Marina para a sua permanência no partido.

Entre as condições para a pacificação está a saída de Penna da presidência.

No momento, a votação do código une os adversários dentro do PV, mas a perspectiva de uma derrota ainda é a visão mais realista e pode anular esse efeito.