Novo partido pode reavaliar fusão com PSB

João Bosco Rabello

14 de março de 2011 | 07h12

As negociações do prefeito Gilberto Kassab com o PSB do governador Eduardo Campos, entraram em banho-maria.

A parcela do DEM indisposta com a atual direção do partido, dada como base para a formação do PDB, levará quinta-feira ao prefeito paulista a avaliação de que a fusão com o PSB deve ser revista.

Eles entendem que se a justiça eleitoral confirmar que um novo partido terá garantido o tempo de propaganda gratuita na televisão, a fusão perde o sentido.

E, sem o tempo de TV, vira aventura.

Até que isso seja reavaliado, a idéia dos dissidentes é a de permanecer no DEM, independentemente do resultado da Convenção Nacional marcada para amanhã, que deve sacramentar o senador José Agripino (RN), como presidente da legenda.

No fundo, a maioria não se sente confortável com o ingresso numa sigla socialista, cujo estatuto vai na contramão da doutrina liberal.

Levando o tempo de TV, essa parcela do DEM imagina que pode formar com o prefeito um partido sólido viabilizado pela adesão de dissidentes de todas as legendas.

Aberto apenas a coligações

Mais conteúdo sobre:

DEMFusãoGilberto KassabPDBPSB