Nova pesquisa indica divisão do eleitorado e solidez de Serra

Nova pesquisa indica divisão do eleitorado e solidez de Serra

João Bosco Rabello

02 Julho 2010 | 15h27

Os especialistas sempre terão explicações para a flutuação das pesquisas como a que agora ocorre na disputa presidencial.

Mas o fato é que o resultado do Datafolha, na sequência de duas pesquisas imediatamente anteriores, que registraram queda de Serra, comprova que o País está dividido eleitoralmente, clima que deverá prevalecer na campanha.

tres

Ascensão de Dilma e a permanência de Marina na casa dos 10% eram previstos. Fotos: Dida Sampaio

Os 39% de José Serra registrados pelo Datafolha indicam que o candidato do PSDB  tem uma votação sólida e um eleitorado fiel, que o mantém nesse patamar desde antes de seu lançamento formal.

O que reforça a solidez da candidatura é também o fato de a pesquisa ter sido feita em momento negativo da  campanha do PSDB, de que a crise do vice foi o melhor retrato.

A ascensão da candidata Dilma Rousseff e a permanência de Marina Silva na casa dos 10% eram previstos. O que deixou de ser dúvida é a capacidade do presidente Lula de transferir votos em proporção suficiente para consolidar uma candidata sem qualquer recall político.

Lula levou Dilma ao patamar de Serra e agora a disputa é pelo eleitor que não se decidiu ainda. É quando ganham importância os debates que a candidata do PT/PMDB tem evitado por estratégia de seus marqueteiros.

As pesquisas no contexto da atual disputa serão importantes como termômetro para que os partidos avaliem as situações regionais, façam ajustes naturais de campanha, porém não servirão para sustentar teses sobre definição de tendência, como se tem observado em algumas avaliações.