Mancada histórica

Mancada histórica

João Bosco Rabello

04 de dezembro de 2009 | 11h22

Foto: Celso Junior/AE

Panetone tem tudo para figurar no próximo carnaval. Foto: Celso Junior/AE

A história política brasileira está recheada de frases desastradas que custaram aos seus autores derrotas eleitorais e jurídicas inesquecíveis. O ex-presidente Fernando Collor, por exemplo, perdeu qualquer esperança de resistir ao processo de impeachment, ao exortar a população a ir às ruas vestida de verde e amarelo, num movimento cívico pela sua permanência. Deu o contrário.

As circunstâncias de Arruda são bem mais dificeis que as de Collor. E a explicação dada para o dinheiro em espécie recolhido de Durval Barbosa, é igualmente mais desastrada. A versão do panetone tem tudo para aparecer nas alegorias do próximo carnaval, nos salões e nas ruas.

Como já deu a ideia o estudante acima, flagrado pelo fotógrafo com um chapéu improvisado com a caixa de papelão do famoso pão italiano. Cuja origem, aliás, foi um erro de receita.

Tudo o que sabemos sobre:

ArrudaFernando Collorimpeachmentpanetone

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.