José Alencar anuncia que não será candidato a nada

José Alencar anuncia que não será candidato a nada

João Bosco Rabello

09 de abril de 2010 | 12h52

José Alencar

O vice-presidente José Alencar declarou há pouco que não será candidato a nada. Fica, pois, interino em todas -e não serão poucas – ausências de Lula daqui em diante.

Também José Sarney deixa de voltar à Presidência, e Michel Temer não precisa fugir do País para evitá-la.

Mas, sobretudo, a decisão retira do tabuleiro da sucessão mineira o fator com o qual Lula chegou a acenar como forma de enfraquecer Aécio Neves.

Também para o Senado, as negociações em Minas deixam de ser o problema maior do ex-governador.

“Fico até o último dia do meu mandato e espero descer a rampa como subi”, disse ele.

Alencar não precisou se desincompatibilizar  para que sua candidatura ao Senado ou ao governo de Minas fosse real. Se precisasse teria que ter tomado a providência até o último dia 3.

A lei complementar 64, de 1990,  conhecida como a Lei das Inegibilidades, estabelece que Vice-Presidente, Vice-Governador e Vice-Prefeito podem se candidatar a outros cargos preservando os respectivos mandatos, desde que nos seis meses anteriores à eleição não tenham sucedido ou substituído o titular.

Ao assumir o cargo na próxima ausência de Lula, portanto, é que Alencar estará fora de qualquer disputa.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.