Intervenções deixam sequelas no PT

João Bosco Rabello

12 de junho de 2010 | 22h00

A submissão ao PMDB em Minas e Maranhão deixou sequelas no PT e o diagnóstico de que elas não se restringem às lideranças regionais mais visíveis na oposição à direção do partido.

Com a autoridade de fundadora da sigla em Minas, a deputada Sandra Starling afirma que o dano é extensivo à militância, historicamente movida a emoção.

No Maranhão, outro fundador, o deputado Domingos Dutra, em greve de fome pelo apoio imposto a Roseana Sarney, diz o mesmo.

Os dois episódios já são vistos como prenúncio de que uma vez eleita, Dilma Rousseff será refém da força do PMDB.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: