Eleição ilegítima

João Bosco Rabello

04 Maio 2010 | 18h17

O deputado distrital Cristiano Araújo reclama que não foi citado nominalmente por Durval Barbosa, que suas afirmações não são sustentadas por provas, e assegura que nada recebeu pelo voto a favor do Pdot.

Registro aqui essa declaração, em benefício do direito de defesa, com as seguintes ressalvas, para voltar ao assunto após o desfecho das investigações.

1) Durval não cita nominalmente ninguém: afirma que todos os votantes do Pdot receberam pelo voto favorável. Até aqui, o deputado Cristiano Araújo foi o único que desmentiu;

2) As provas estão sendo trabalhadas pelo Ministério Público que, no entanto,  pediu a intervenção na Câmara Distrital, com base no que já apurou;

3) O objetivo do post é denunciar a ilegitimidade de uma eleição indireta conduzida por uma Câmara sobre a qual pesa um pedido de intervenção federal;

4) O conteúdo do post é extraído dos autos da Operação Caixa de Pandora.