Dilma e general Leônidas falam o mesmo sobre exilados da ditadura: são fugitivos

Dilma e general Leônidas falam o mesmo sobre exilados da ditadura: são fugitivos

João Bosco Rabello

12 de abril de 2010 | 13h21

dilmalula

Dilma: fala coincide com a de Leônidas. Foto: Evelson de Freitas/AE

Ao tentar desqualificar a biografia de José Serra como um dos perfis perseguidos pelo regime militar, Dilma Rousseff comete o segundo erro estratégico em menos de 15 dias.

A candidata que já havia provocado a memória da aliança que elegeu Tancredo Neves com a oposição do PT, faz coro agora com os generais do regime que ajudou a combater.

Senão, vejamos: ela diz que Serra, contra quem havia uma ordem de captura dada pelo regime, fugiu do País, enquanto ela ficou.

Coincide com a declaração do general Leônidas Pires Gonçalves, ao repórter Genetton Moraes Netto, na série exibida pela Globo News, segundo o qual não houve exilados na ditadura militar, mas “fugitivos”.

Ambos – o general e a candidata – só consideram inimigos os que pegaram em armas, critério que elimina do contexto de luta contra a ditadura todos os demais, inclusive Lula.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.