Câmara pode convocar Cid Gomes

João Bosco Rabello

04 de março de 2015 | 15h27

O plenário da Câmara dos Deputados poderá votar ainda hoje requerimento de convocação do ministro da Educação, Cid Gomes, para explicar sua declaração de que a Casa abriga mais de 400 “achacadores”. A convocação tem maioria para ser aprovada e conta com a liderança inflamada do presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Nesse momento, líderes de todos os partidos estão assinando o requerimento. As declarações de Cid Gomes foram feitas a uma plateia de estudantes da Universidade Federal do Pará, há uma semana. A fala do ministro, de que a Câmara “tem de 300 a 400 achacadores” , segundo alguns parlamentares, provocou sentimento geral de indignação, principalmente de Cunha, mencionado por Cid como referência desse quadro.

A reação vai além da convocação para que Gomes preste esclarecimentos em plenário. Segundo participantes da reunião de líderes, o ministro terá todos os interesses pessoais e de sua pasta bloqueados na Câmara até que se retrate. Segundo um parlamentar, Cunha disse que “vai até o fim contra o ministro”.

O episódio agrava as relações do governo com o Congresso na sua fase mais crítica, um dia após o presidente do Senado, Renan Calheiros, devolver uma Medida Provisória do Planalto, depois de recusar-se a atender telefonemas da presidente da República e do ministro da Casa Civil, Aloísio Mercadante.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.