Bradesco tem interesse na BR Distribuidora

João Bosco Rabello

20 de março de 2015 | 17h00

Desde ontem chama a atenção de políticos a informação de que o Bradesco, que faz o levantamento dos números da BR Distribuidora, manifestou interesse em comprar 49% da subsidiária da Petrobras, se um acordo de acionistas lhe garantir a gestão.

A preocupação passa a ser com o fato de a instituição financeira encarregada de fazer o levantamento, dentro do plano da Petrobras de negociar ativos, ser também compradora, o que pode representar um conflito de interesses.  O lucro da BR, ano passado, foi de R$ 1,2 bi.

A proposta pode entrar na pauta do Conselho da Petrobras na próxima semana. Teme-se a reação política do PT, por causa do embate ideológico em torno da privatização, e que o Ministério Público se  oponha, diante da investigação de corrupção que envolve toda a petrolífera.

A reação contrária a uma eventual negociação nesses  termos , certamente incluiria  a versão de suspeita sobre o envolvimento do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, dada a sua origem no setor privado, que é exatamente o Bradesco.  Levy não está na discussão, mas a oposição ao negócio levantaria até a suspeita de que ele já teria entrado para o governo com essa carta na manga, o que é injusto.

Tendências: