PT leva “bolo” do PMDB e quer Dilma ausente no congresso do aliado

João Bosco Rabello

06 de setembro de 2011 | 10h11

Convidado para o 4º Congresso Nacional do PT, o PMDB deu o bolo.  O partido não mandou nenhum representante, enquanto PSB e PCdoB se fizeram presentes.

A ausência do PMDB provocou cobranças do aliado e promessa de troco. O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), diz que não foi porque estava em Porto Velho (RO). 

Ele jogou a culpa no senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) , a quem incumbiu de representar o partido, por ser  o único integrante da Executiva peemedebista em Brasília na última sexta-feira.  Eunício disse a ele que iria, mas não foi.

O líder do governo – e terceiro vice-presidente do PMDB – Romero Jucá (RR),  jogou mais lenha na fogueira: “Se tivesse me pedido, eu iria”, disse sobre o presidente Waldir Raupp.

O troco pode vir no congresso nacional do PMDB no próximo dia 15 . Dilma, que havia sinalizado ao vice Michel Temer a possibilidade de prestigiar o evento do PMDB, será pressionada pelo PT para não ir.

O episódio já gerou mais uma interpretação à fala de Lula no evento em que fez questão de citar as lideranças de outros partidos presentes –  o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, e o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral.

E avisou a Dilma que ela não estaria sozinha em nenhum momento: “Tenha certeza de uma coisa, Dilma, aqui neste palanque não tem mar revolto, não tem vendaval, não tem vulcão que você não possa vencer, conte conosco”.