Vice de prefeito cassado é eleito em São José da Bela Vista

Camila Tuchlinski

08 de abril de 2017 | 01h43

O município foi um dos 12 no País que tiveram eleições fora de época no último domingo. Há três meses, a cidade está com um líder interino, pois o mais votado de 2016, o tucano Zé Dito, havia sido cassado por abuso de poder político e perdido os direitos por oito anos.

De acordo com sentença TRE-SP, Zé Dito tentou impedir que coligações concorrentes fizessem comícios em locais públicos durante a eleição de 2012. Ele tinha o poder da caneta na época, pois era prefeito e tentava se reeleger. O tucano recorreu até o TSE, instância máxima da Justiça eleitoral, mas foi em vão. O curioso disso tudo é que nesses primeiros meses de 2017 a cadeira de prefeito foi ocupada só por companheiros de partido. Quando Zé Dito foi cassado, o vereador do PSBD Vicente de Paula Massinofoi obrigado a assumir a prefeitura de maneira interina. Em seu primeiro dia à frente da administração municipal, o político usou a palavra ‘calamidade’ para definir a situação em que São José da Bela Vista se encontra. Ele diz que o maior desafio seria obter R$ 1 milhão para arcar com os salários de dezembro dos servidores municipais, que não foram pagos.

Agora, 90 dias depois, o vice do prefeito cassado, Paulo César Lopes do Nascimento, foi escolhido pela população como novo chefe do Executivo da cidade. Conhecido como Quinzinho, o novo líder do executivo também é do PSDB e recebeu 47,08% dos votos válidos. Os adversários dele foram Celinha Ferracioli (PTB), com 1.667 votos, e Walter Cassio (PSB), com 1.206.

As eleições deste domingo em São José da Bela Vista tiveram um índice de abstenção de 24,11%, o equivalente a 1.789 eleitores, e de 75,89% de comparecimento às urnas, com 5.632 votos computados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.