‘Quer trocar uma escola pública por um carro de luxo? Siiiim!’

‘Quer trocar uma escola pública por um carro de luxo? Siiiim!’

Camila Tuchlinski

12 de junho de 2015 | 08h04

A pergunta e a resposta que dão título à este post fazem os ‘mais experientes’ se lembrarem de uma antiga brincadeira na televisão. Tratava-se do quadro ‘Foguete’, do programa Domingo no Parque, que passava no SBT nos anos 80. A criança entrava em uma cabine em forma de foguete, com isolamento acústico, e tinha que responder “sim” ou “não” quando uma luz acendia. Sílvio Santos perguntava: “Você quer trocar o seu carro usado por uma penca de bananas?” E corria o risco de o participante responder ‘siiiiiim’!

No município de Nova Aliança, interior paulista, nem a chance do ‘chute’ os habitantes tiveram. Em 2013, o prefeito de cidade preferiu comprar um carro de luxo ao invés de terminar a construção de uma escola pública que custaria R$ 140 mil, mas as obras ficaram paradas por três anos. De acordo com o portal da transparência, Jurandir Barbosa de Morais comprou um Ford Fusion Titanium 2.0 Ecoboost, zero quilômetro, pelo valor de R$ 114,5 mil. Questionado por vereadores municipais, o prefeito argumentou que ‘adquiriu o veículo para viajar com mais segurança nas estradas e um maior conforto’. Quanto à terminar a construção da escola, Jurandir disse que, por enquanto, não há a necessidade de terminar a obra. Você leu bem. Não há necessidade de terminar uma escola! Ah, educação pra quê, né? Parece que a lista de prioridades na cidade de Nova Aliança está um pouco fora da ordem.

E ‘santo de casa não faz milagre’! Jurandir Barbosa de Morais acaba de ser multado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo por ter publicado no site da prefeitura, nas eleições do ano passado, uma foto dele ao lado de políticos no lançamento da candidatura do deputado estadual Carlos Eduardo Pignatari. A Procuradoria Regional Eleitoral me enviou uma nota dizendo que a legenda da foto trazia o apoio explícito do prefeito: ‘Nova Aliança presente no lançamento do candidato Carlão Pignatari para deputado’.

NOVA ALIANCA

O procurador regional eleitoral André de Carvalho Ramos é taxativo: ‘Não há como negar a violação à vedação legal, pois houve a utilização de equipamentos e materiais custeados por recursos públicos’. O prefeito alegou não ter autorizado a publicação da foto, porém, para Carvalho Ramos “independentemente de autorização, fato é que houve a veiculação do lançamento da candidatura, em período eleitoral, não podendo o prefeito municipal eximir-se de sua responsabilidade de escolher e fiscalizar os servidores que cuidam de sua comunicação social”.

Na representação, a PRE-SP também requereu a aplicação de multa e a cassação do deputado estadual Carlos Pignatari. Porém o TRE-SP aplicou multa, a ser fixada pelo mínimo legal, apenas contra o prefeito, por entender que apenas ele foi responsável pela inserção da foto do lançamento da candidatura no site da prefeitura e que o então candidato não tinha ciência nem autorizou a publicação da foto. Será que, no ano eleitoral de seus afilhados políticos, o prefeito trocou a administração da cidade por uma ‘penca de bananas’? Fica a pergunta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: