Por onde anda a ex-prefeita de Ribeirão Preto?

Camila Tuchlinski

24 de fevereiro de 2017 | 16h46

Dárcy Vera foi a primeira prefeita eleita e reeleita da cidade de Ribeirão Preto, no interior paulista. Presa na segunda fase da Operação Sevandija, em dezembro do ano passado, ela foi denunciada pela Procuradoria-Geral de Justiça por corrupção passiva, peculato e associação criminosa. A ex-prefeita ficou pouco mais de uma semana na Penitenciária de Tremembé, no interior paulista, até obter a liberdade no Superior Tribunal de Justiça. Atualmente, Dárcy responde o processo em liberdade, após ter ficado 11 dias no ‘xadrez’.

Ela foi denunciada por Wagner Rodrigues, ex-presidente do Sindicato dos Servidores, que disse que ela havia recebido R$ 7 milhões em propina. Dárcy foi apontada como suspeita em fraude em contratos de licitações, pagamentos indevidos de honorários advocatícios pela Prefeitura e corrupção envolvendo nove vereadores da base aliada. Inclusive, na época, tratamos sobre esse caso aqui no blog.

Dárcy Vera está praticamente reclusa na casa dela. Quem mora na cidade diz que é vaiada todas as vezes que é obrigada a ‘visitar’ o Fórum a cada 15 dias. Ela não pode ter contato com outros suspeitos da Operação Sevandija e não pode entrar em prédios públicos.

Ela estava proibida de deixar a cidade mas, agora, a Justiça liberou a ex-prefeita de Ribeirão Preto para continuar a pós-graduação sobre comunicação pública governamental na Universidade de São Paulo aos sábados, na capital paulista. Dárcy Vera quer retomar a vida normal. Os advogados de defesa dizem que ela conseguirá provar sua inocência. Os bens da ex-prefeita de Ribeirão Preto estão bloqueados pela Justiça.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.