Índios querem democracia!

Camila Tuchlinski

20 de janeiro de 2017 | 08h01

Em outubro do ano passado, trouxemos neste espaço alguns casos engraçados e até peculiares em relação às eleições municipais. 2017 já começou e daqui a pouco teremos o início do funcionamento dos trabalhos nas Câmaras de Vereadores e nas prefeituras. A cidade de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, foi a que mais elegeu políticos de origem indígena.

O município tem 76,6% da população autodeclarada indígena, pertencente a 23 etnias, e conta com três idiomas oficiais (baníua, tucano e nheengatu). Nas eleições do ano passado, foram escolhidos sete vereadores que são índios. O prefeito, Clovis Moreira Saldanha, é índio tariano e conhecido como Clóvis Curubão. Filiado ao PT, ele terá a primeira experiência na política. Na bancada de vereadores, sete dos 13 são índios e compõe a chapa PR/DEM/PMB, a coligação PSL/PMN/PV/PPS/PP e dois são correligionários do Partido dos Trabalhadores.

Clóvis Curubão foi eleito com 30,19% dos votos válidos de São Gabriel da Cachoeira. Ele é comerciante e propõe busca por energias renováveis para as comunidades indígenas, apoio aos jogos dessa população, além da valorização da medicina tradicional dos povos que ali vivem.  

Os índios brasileiros se animaram em disputar a eleição no ano passado: 28 se candidataram a prefeituras – cinco conseguiram vencer – e 1.531 buscaram as Câmaras Municipais – foram 167 eleitos como vereadores. Os dados fazem parte do levantamento do Tribunal Superior Eleitoral que mapeou detalhadamente as questões étnica e racial pela primeira vez em um pleito.

De acordo com o Censo de 2010 do IBGE, a população indígena do País corresponde a 0,47% do total de brasileiros, com 896.917 pessoas. Mas o número de prefeitos e vereadores indígenas eleitos é ainda menor, com 0,28% do total de vereadores e 0,08% entre os prefeitos. De toda forma, a participação dos índios na política é um importante passo para que tenham seus direitos garantidos pela Constituição, muitas vezes tão desrespeitados pelos detentores do poder.

Tendências: