“CONTEM, MEÇAM, COMPAREM”

Marcos Silveira

12 de abril de 2017 | 10h19

Estamos aqui para falar de municípios e governos municipais e, honrados por este convite de integrar a equipe de Camila, Eder e Humberto, começamos nosso primeiro texto com uma provocação antiga.
Especificamente, ela vem desde 1762.
O autor da polêmica é Rousseau em sua obra prima “O Pacto Social”, livro 3, capítulo 9 intitulado “Os sinais de um bom governo”. Suas palavras foram:
“Portanto, quando se pergunta absolutamente qual é o melhor Governo, faz-se uma pergunta tanto insolúvel quanto indeterminada. Ou, se quiserem, ela possui tantas boas soluções quantas são as combinações possíveis nas posições absolutas e relativas dos povos. […] calculadores, a tarefa agora é de vocês: contem, meçam, comparem.”
O pensador levanta a bola, mas já deixa a pista para a solução. O caminho para falar de municípios e governos passa pela matemática, dados, estatísticas, contas, medições e comparações.
Em resumo: algo só pode ser avaliado e, possivelmente melhorado, se for medido.
Se quisermos um município melhor, uma sociedade melhor, uma performance individual melhor, a medição e comparação é o marco zero. Se não temos informações, se não temos metas, não é possível ter qualquer tipo de avaliação razoável.
E hoje, na era da informação, estes dados já existem. A organização referência de dados e transparência governamental em todo o mundo, e que aplica isso de uma maneira científica, é a Open Knowledge Foundation (2015). Segundo ela, o Brasil é uma grande referência em transparência, ocupando a 26º colocação mundial, a frente de países desenvolvidos como Bélgica em 56º, Polônia em 48º e Irlanda em 36º.
Temos os dados, porém eles estão: (i) separados, um em cada site e órgão de coleta; (ii) escondidos, em lugares de difícil acesso; e (iii) são técnicos e difíceis de serem entendidos, disponibilizados em tabelas confusas e extensas.
Apesar disso, já é possível trabalhar com o que existe, olhando para o lado cheio do copo. Foi acreditando nisso que criamos a Datapedia (www.datapedia.info), uma janela única com os dados públicos e oficiais de todos os municípios e distritos do país. São 5.570 localidades presentes na plataforma, que agrupou, organizou e traduziu em visualização amigável as mais diversas fontes de dados. Atualmente já são mais de 10 bilhões de dados agrupados e continuamos a ampliar as bases.
No Blog faremos exposições e exemplos de aplicação e interpretação de dados sobre governos municipais.
Esta é uma área sutil, pois: (i) 89% da cidades do Brasil possuem menos de 50 mil habitantes; e (ii) de 1988 até 2015 tivemos a criação de 1.442 cidades, passando de 4.128 municípios na época da Constituição Federal para os atuais 5.570. Estes fatos sobre as administrações municipais e seus respectivos aparatos de estrutura legislativa, executiva e judiciária ainda não têm a devida atenção de custo e retorno para um país vulnerável como o nosso. É aqui que colocaremos luz.
Todavia, entendemos que a realidade é sempre mais complexa que os números podem mostrar. Atrás de percentuais e números existem pessoas, histórias, alegrias e dores. E conhecer os dados e evidências municipais é um dos primeiros passos para que cidadãos, empresários e políticos possam fazer melhores perguntas, melhores decisões, melhores ações.
Cientes de nossa missão, convocamos a força e união de todos os amigos e parceiros nessa jornada de melhoria do país, e neste espaço do blog nos colocamos a serviço para construir o Brasil que queremos. Os 5.570 Brasis.

Em parceria com Patricia Tavares

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.