Candidatos que não votaram em si (e outros causos) em Porto Real do Colégio

Camila Tuchlinski

14 de outubro de 2016 | 14h18

Porto Real do Colégio é uma cidade alagoana que fica ao lado do Rio São Francisco, quase na divisa com Sergipe. Sua população é de 20.205 habitantes. A tribo indígena Kariri Xocó é uma das mais importantes da região. E os números da movimentação eleitoral por lá foram, no mínimo, curiosos no pleito municipal no início deste mês. Como promessa é dívida, mais casos pitorescos essas eleições aqui no BLOG DO DANTAS!

Na disputa deste ano, 58 candidatos concorreram as vagas na Câmara Municipal. Para uma cidade pequena, é uma lista consideravelmente longa. Mas até aí, avança democracia, né?  O que é bem interessante nesta lista é que, ao contrário do que acontece nas grandes capitais como São Paulo – em que existe uma prévia e só uma pessoa e candidata para representar o partido -, em Porto Real do Colégio, os partidos têm vários representantes no mesmo pleito. Em 2016, o partido que teve mais candidatos eleitos foi o PSDB. O vereador mais votado, Zé Belarmino, do PSD, teve 827 votos.

No extremo sul da página do TSE, aparecem vários candidatos que não pontuaram, ou seja, tiveram 0 votos. Isso faz a gente pensar que: ou eles abandonaram a disputa no meio do caminho ou não votaram nem em si mesmos. Aqueles que aparecem com nenhum voto são: Angela (SD), Iriane de Uilio (PSDB), Josenilda (SD), Ingrid de Zé Farias (PSDB) e Elitones (SD). Ah, só para constar, um vereador nesse município recebe salário de R$ 4 mil. Existe um portal da transparência didático no site da Camara Municipal.

Para o cargo de prefeito de Porto Real do Colégio, foram quatro candidatos. Lá não terá segundo turno e o escolhido foi o tucano Aldo Popular, que teve 5.377 votos. Brancos e nulos somaram 834.

E o eleito terá muitos desafios pela frente, já que a cidade está quebrada. No mês passado, a Justiça determinou o bloqueio de R$ 660 mil das contas do município. A razão é o atraso no pagamento de servidores públicos. Segundo o Sindicato do Serviço Público Municipal, salários de agosto ainda não foram pagos.

O atual prefeito da cidade eh Sérgio Reis (não o cantor sertanejo não!), do PTB. Em julho deste ano, ele foi condenado pela juíza Fabíola Melo Feijão a pagar os salários da vice-prefeita Maria Aparecida dos Santos (SD), referentes aos meses de maio e junho. A decisão aconteceu pelo fato de ‘Cida do Salomezinho’, como é conhecida, impetrar uma ação reclamando que não recebia mais salário após anúncio de rompimento político com o gestor municipal. Sérgio Reis não se manifestou sobre o assunto.

Há dez anos, eu conheci o município de Porto Real do Colégio. O cenário era muito parecido com aqueles de novela dos anos 90: ruas estreitas, casas praticamente coladas umas nas outras e um grande sobradão que se destacava da paisagem. “De quem é essa casa?”, perguntei aos vizinhos que ali estavam. “É do prefeito aqui da cidade, mas ele nunca fica aí. Ele tem uma casa em Propriá”, diziam os moradores.

Propriá é um município de Sergipe. Porto Real do Colégio fica em Alagoas. Apenas o Rio São Francisco divide as cidades. Não me espantaria se o atual prefeito também morasse em outro município. Ah, sei que em muitos lugares do Brasil esta é uma realidade. Mas talvez seja um assunto para outro post.

 

Mais conteúdo sobre:

Porto Real do Colégioeleição 2016