Buritizeiro tem prefeito afastado e história mal contada

Camila Tuchlinski

08 de julho de 2016 | 10h34

Os habitantes da cidade de Buritizeiro, em Minas Gerais, acompanharam o prefeito sair e voltar para o cargo duas vezes em menos de dois anos. O mesmo prefeito. E sem saber precisamente o por que.

Nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou o afastamento de Luiz Carneiro de Abreu Junior, do PTC, da prefeitura. O vice, o tucano Cláudio Abreu Barbosa, foi empossado como o novo gestor do município. Os dados do caso correm em segredo de Justiça, logo, a população de Buritizeiro não faz a mínima ideia porque o prefeito eleito saiu do cargo. Segredo de Justiça para um caso de extrema relevância para a comunidade? Alguma coisa está estranha.

A Justiça ainda falha, em muitos casos, quando o assunto é sigilo. Em dezenas de situações, esse dispositivo é usado para preservar provas da investigação, testemunhas ou outros envolvidos. Em algumas, serve apenas para que o povo não saiba o que realmente está acontecendo. Ah, e nunca conseguimos saber do que se trata. Este é o caso.

É verdade também que, em 2013, o prefeito Luiz Carneiro de Abreu Barbosa e o vice foram afastados pela juíza Renata Souza Viana, da comarca de Pirapora, por problemas na convenção partidária para a escolha dos candidatos em 2012. Mas a decisão foi contestada um ano depois pelo TRE, por parte do juiz Maurício Ferreira, que reconduziu-os para os cargos. Para ele, não houve fraude no processo eleitoral. Enquanto isso, o pequeno município de 26 mil habitantes no oeste de Minas agoniza com o vai-e-vem administrativo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.