A vereadora que quer trabalhar antes da hora em Sorocaba

Camila Tuchlinski

13 de janeiro de 2017 | 08h17

Sabe aquela ansiedade que você tem antes de começar algo novo? Esse é o sentimento de Fernanda Garcia, que começará seu primeiro mandato como vereadora em Sorocaba, no interior paulista. Os trabalhos na Câmara Municipal só iniciam em fevereiro, mas ela já protocolou, no segundo dia de 2017, mais de uma dezena de projetos de lei relacionados à saúde, educação, meio ambiente, direito da mulher, transporte público e inclusão digital. Haja disposição!

Fernanda Garcia é do PSOL e teve 3.882 votos nas eleições municipais do ano passado. Ela é professora e teve participação política no movimento estudantil do ensino médio, com a bandeira do Passe Livre. E o transporte foi um dos projetos apresentados por ela agora. A proposta quer garantir transporte gratuito aos estudantes da rede pública de ensino por meio de cartão magnético.

Em relação à saúde, para garantir a transparência do serviço, a vereadora quer que a prefeitura publique, no site oficial, os nomes dos pacientes que estão na fila de espera para atendimento médico, com os últimos três dígitos do CPF: “Nota-se um déficit de transparência nos processos de gestão das filas de espera do SUS, que geram consequências desrespeito à ordem cronológica das listas e a falta de critérios objetivos de priorização de pacientes”, justifica Fernanda Garcia. Informações como data da solicitação da consulta, o tipo de exame ou da intervenção cirúrgica também fazem parte da proposta. Esse é um projeto interessante e que poderia ser ampliado para todos os contratos relacionados ao sistema de saúde. Aqui mesmo, no BLOG DO DANTAS, denunciamos inúmeros casos de corrupção na área em diversas prefeituras brasileiras.

Para o meio ambiente, a vereadora propõe expansão dos serviços de coleta seletiva em Sorocaba. Segundo ela, apenas 8% dos domicílios são atendidos diariamente e 92% são atendidos três vezes por semana. A vereadora também apresentou projeto de lei sobre acesso à creches em Sorocaba, já que não está garantida na cidade o direito à educação infantil em creches para crianças de zero a três anos e onze meses.

Em um momento em que o povo brasileiro vive uma descrença em relação aos políticos em todas as esferas de poder, ‘sangue novo’ pode renovar as esperanças da população. Avança, democracia, parafraseando Humberto Dantas!

Tendências: