Percepções da Guerra Rússia-Ucrânia por uma intercambista no Leste Europeu

Percepções da Guerra Rússia-Ucrânia por uma intercambista no Leste Europeu

REDAÇÃO

03 de março de 2022 | 13h26

Maria Eduarda Raymundo Nogueira, Graduanda de Administração Pública (FGV-EAESP), estudante intercambista na University of Economics and Bussiness of Prague (VSE)

Nos dias anteriores aos ataques, sentia-me menos em contato com a guerra, estando a algumas centenas de quilômetros da Ucrânia – do que meus amigos e familiares brasileiros, que me perguntavam diariamente das movimentações políticas. Dentro e fora da sala de aula, pouco ouvia sobre o conflito que ia se agravando, e sem acesso aos jornais locais, acabei perdendo o posicionamento do governo tcheco relativo ao período pré-conflito. No entanto, após o dia 24, uma mudança contundente no dia a dia foi observada e não mais era possível ignorar os impactos e a proximidade.

Em minha universidade, especificamente, o dia seguinte aos ataques (25) foi bastante conturbado, principalmente para os alunos russos, que passaram por constrangimentos diversos, com professores se recusando a lecionar para eles, sendo separados de colegas de classe ucranianos para não gerar desconforto e pelo medo de terem seus vistos recolhidos pelo governo tcheco, que já ameaçava os turistas. Hoje, uma semana depois dos primeiros ataques, eles continuam frequentando as aulas, contudo, ainda há receio de que não sejam autorizados a terminar o semestre.

No geral, é perceptível uma discriminação acentuada com imigrantes russos e referências ao país em geral, atitudes incentivadas pelo governo local, como o boicote a mercados e restaurantes russos e o uso de bandeiras ucranianas para cobrir ruas com nomes russos ou as placas desses estabelecimentos. Além disso, a Suprema Corte da República Tcheca determinou que, qualquer defesa pública dos ataques russos à Ucrânia, inclusive de forma online, pode ser investigada e condenada criminalmente, o que reforça o apoio irrestrito do país ao lado ucraniano.

Ao mesmo tempo, eventos de arrecadação de fundos tem aparecido a cada dia e todos, inclusive os intercambistas, são incentivados a doar. Na próxima terça-feira, inclusive, a mais tradicional festa para estudantes intercambistas da cidade se transformará em um evento beneficente, no qual o dinheiro arrecadado pelos ingressos e doações será repassado para o fundo SOS Ukraine de ajuda humanitária.

Além disso, manifestações no centro da cidade, das quais ainda não tive a oportunidade de participar, são diárias, porém, pude observar que contam com milhares de pessoas e mudaram a dinâmica das noites de Praga. O auge desses eventos, até agora, aconteceu no dia 01 de março, quando foi realizado um grande festival beneficente que contou com a participação de músicos locais e da orquestra nacional, arrecadando, em poucas horas mais de CZK 22,5 milhões (pouco menos de R$ 5 milhões em moeda local).

Outra mudança cotidiana foi percebida nos trams (ou bondes, em português), que são o principal transporte entre o dormitório e a faculdade. Neles, os motoristas, em ação independente, pregaram bandeiras e cartazes em apoio à Ucrânia, pedindo o fim da guerra ou simplesmente prestando uma homenagem, o que traz uma lembrança constante do conflito.

Em adição, paira no ar um clima de tensão gerado pela preocupação generalizada entre os tchecos, principalmente os mais velhos, de que os ataques se expandam para os países vizinhos. Contudo, para os governantes e pelas análises políticas internacionais, parece pouco provável que ataques ocorram fora da Ucrânia, dada a proteção da OTAN à República Tcheca, Eslováquia e Polônia, por exemplo. Mesmo assim, a venda de tabletes de iodo – utilizados para neutralizar radiação na água- e alimentos enlatados aumentou exponencialmente na última semana.

Seguidamente, a questão dos refugiados ucranianos também se mostra cada vez mais presente no dia a dia de Praga. Centenas de imigrantes chegam à cidade cotidianamente e, até quarta-feira (02), a cidade já havia recebido oficialmente mais de 13 mil pedidos de visto de longa duração. Os postos da polícia de estrangeiros estão lotados e, para se ter uma ideia, mais de 24 mil ucranianos já cruzaram as fronteiras tchecas. Nesta quinta-feira (03), o país deve entrar em Estado de Emergência para que possa destinar maiores recursos ao acolhimento desses refugiados sem prejudicar as outras atividades estatais da Tchéquia. Empresários locais já apoiam os refugiados com doações de alimentos, produtos básicos e enviando trens e ônibus gratuitos para facilitar a chegada ao país.

Encontrei pessoalmente muitos refugiados no último final de semana, na viagem de volta de Budapeste para Praga. O ônibus vinha da Romênia, país que faz fronteira com o sul da Ucrânia e, quando embarquei, já era ocupado com mais de 30 refugiados, informação que só descobri ao sermos parados pela polícia de fronteira entre a Áustria e Hungria, onde eles foram pesadamente questionados pelos oficiais sobre seu destino e sua documentação. A maioria carregava apenas a roupa do corpo consigo ou uma pequena mochila, indicando que saíram às pressas de suas casas. Nesse momento, ainda que a maioria fosse de mulheres e crianças, ainda se viam alguns homens refugiados, o que é cada vez mais raro devido à proibição do governo da Ucrânia de que deixem o país.

Em suma, observar os desdobramentos de um conflito de grandes proporções de forma tão próxima tem sido uma experiência única. As atitudes russas são reprováveis, mas o peso da xenofobia contra imigrantes russos que, em boa parte, não são favoráveis às ações de seu governo, também é difícil de assistir. A República Tcheca tem se preparado para receber cada vez mais refugiados e enviado auxílios diretos ao exército ucraniano. Esta guerra, sem dúvida, será uma marca na história mundial contemporânea, e na minha história pessoal, pois jamais esperava presenciar tal crise durante meus meses de intercâmbio.

Fontes

BIRN. Czechia Mulls Penalising Support of Ukraine Invasion. Disponível em: https://balkaninsight.com/2022/03/01/czechia-mulls-penalising-support-of-ukraine-invasion/. Acesso em 03 mar. 2022.

EXPATS. State of emergency could return to Czechia to help tackle Ukrainian crisis. Disponível em: https://www.expats.cz/czech-news/article/czech-daily-news-roundup-wednesday-march-2-2022. Acesso em 03 mar. 2022.

EXPATS. How will Russia’s invasion of Ukraine impact daily life in Czechia?. Disponível em: https://www.expats.cz/czech-news/article/how-russia-s-invasion-of-ukraine-is-affecting-life-in-czechia. Acesso em 03 mar. 2022.

VONDERKOVÁ, Ivan. Evidencian en Chequia a más de 10 700 refugiados de Ucrania. Disponível em: https://espanol.radio.cz/evidencian-en-chequia-a-mas-de-10-700-refugiados-de-ucrania-8743695 . Acesso em 03 mar. 2022.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.