O pulo do Rato: Paraná não atualiza na propaganda os números reais de vagas de emprego do Estado

O pulo do Rato: Paraná não atualiza na propaganda os números reais de vagas de emprego do Estado

REDAÇÃO

28 de janeiro de 2022 | 17h07

Requião Filho, Deputado Estadual no Paraná (ALEP)

Pedi, em novembro de 2021, informações ao Paraná sobre os dados reais da geração de empregos no Estado, durante a pandemia. Causou estranheza que, para divulgar números errados e superestimados, o governador Ratinho Jr. não poupou esforços em propaganda… Porém, para corrigir, a pressa não existiu, nem a vontade de divulgação.

O pedido de informações foi baseado em notícias que revelaram a real situação da geração de vagas formais em 2020, que caiu pela metade com a revisão de dados do CAGED. Oras, se as vagas no Brasil todo tinham caído, logo, do Paraná, poderíamos supor que também haviam divergências, correto? E bingo!

Em resposta ao pedido, o próprio Governo admite: Os dados divulgados pelo Paraná foram extraídos do CAGED, com saldo de empregos em 2020 menor do que o divulgado. Naquele ano, o Paraná registrava apenas 29.167 novos empregos, enquanto os propagandas se vangloriavam com mais de 44 mil novos postos de trabalho. Uma diferença de 53% entre o número real o marketing do governo. Já em 2021, o número verdadeiro foi de 196.143 empregos, enquanto o divulgado foi de 200.095, uma diferença de 2% entre ambos.

O problema, no entanto, não é apenas de erros de cálculo, mas da propagação de incertezas, na vontade de fazer propaganda. E o mais absurdo, ainda admite a sua própria inoperância quando se trata do controle das informações do Estado.

O Paraná sem o CAGED não sabe quantas vagas ele próprio gera? Esse é o tal choque de gestão anunciado pelo Ratinho Jr? Em qualquer empresa, se você não tem conhecimento de seus próprios erros e acertos, você está fadado ao fracasso. Coleta de dados, avaliação, monitoramento e aperfeiçoamento deveriam fazer parte da prática e não apenas do jargão de “compliance” que o governo brada por aí.

Seria um fato novo? Segundo o próprio governo, isso acontece todo mês, com correções retroativas. O governo sabe da falta de informação que ocorre, com a dependência do Paraná ao sistema federal… E faz o que? Divulga amplamente, como a mais absoluta verdade, dados frágeis que podem sofrer correção a qualquer momento.

Trata do erro seu trunfo, afinal números inflacionados são bons para a campanha. Quem não gostaria de enganos de 50% para cima, não é?

Enquanto isso, impostos, água e luz sobem, o desemprego aumenta, a quantidade de profissionais sem vínculo empregatício tendo que sair de suas áreas para trabalhar com bicos e aplicativos só cresce… E o governo se gaba de algo que ele nem tem certeza que existe.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.