Inspiração para investir no bem – iniciativa privada busca novas formas de ajudar na crise

Inspiração para investir no bem – iniciativa privada busca novas formas de ajudar na crise

REDAÇÃO

19 de maio de 2020 | 15h52

Caio Santini, é aluno do curso de Administração de Empresas da FGV EAESP

 

O Brasil enfrenta neste momento, devido a Covid-19, uma crise que pode vir a ser a maior de sua história, uma vez que está provocando efeitos severos na economia, com retração de 5,3% do PIB, e, como consequência, no bem estar social da população, na medida que o desemprego deve ultrapassar a marca de 14%, segundo projeções do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Para diminuir os danos causados pela Covid-19, estímulos econômicos tornaram-se agentes imprescindíveis para que os pequenos empresários e empreendedores de maneira geral sobrevivam. Do mesmo modo, mais ações sociais são necessárias para que todo e qualquer outro cidadão brasileiro, que tenha sido afetado pela crise continuem a ter condições dignas de sustento às suas famílias.

Ademais, os programas de apoio ao pequeno empresário e de assistência às famílias carentes, advindos de iniciativas da esfera pública, têm se provado insuficientes para a sobrevivência do pequeno empreendedor. De acordo com dados de uma pesquisa realizada pelo Sebrae, até o momento, apenas 11,3% das empresas que buscaram crédito, efetivamente conseguiram. Adicionalmente, são grandes as dificuldades por parte dos órgãos governamentais para que o auxílio emergencial financeiro  de R$600,00 chegue de fato a todos aqueles que necessitam.

Uma das dificuldades é notada quando se verifica que um em cada três brasileiros acima de 16 anos é desbancarizado de acordo com pesquisa do Instituto Locomotiva. Sendo assim, ao analisar o cenário, subentende-se que o governo por si só não irá sanar este problema econômico e social que a pandemia trouxe para o Brasil. Por isso, iniciativas da esfera privada são essenciais para o reerguimento do país.

Desse modo, uma destas iniciativas advindas da esfera privada é o Estímulo 2020, um fundo levantado por empresários brasileiros para ajudar o pequeno empreendedor.  Este é o primeiro fundo no modelo de “relief fund” inspirado nos americanos, que já contam com mais de 600 fundos neste modelo voltados para reduzir os danos causados pela Covid. Até o momento foram captados 20 milhões de reais que vão ser destinados à 400 empresas. Todavia, apesar do valor já arrecadado, a demanda é muito maior. Apenas no dia 30 de abril, 1500 empresas buscaram o crédito que vem acompanhado de capacitação e também de serviços de suporte gratuitos.

Com isso em mente, doações para o fundo com o objetivo de impactar mais pequenos negócios é fundamental. “O apoio é essencial para que os empreendedores não deixem de operar os seus negócios, e que a gente, no final do dia, não perca uma geração de empreendedores por conta do Covid 19” disse Eduardo Mufarej, idealizador do programa, em entrevista à CNN Brasil.

Assim, observa-se uma nova linhagem empreendedora que têm se mobilizado, como indivíduos e como times, em prol de campanhas de impactos sociais. “Neste momento tão difícil, temos que nos unir e ajudar, seja gerando oportunidades ou fazendo doações às pessoas que mais precisam.” Disse João Pedro de Simone, cofundador e COO da Worc, plataforma de empregabilidade que surgiu de dentro da Liga de Empreendedorismo da FGV e está sendo acelerada pela FGV Ventures, aceleradora da universidade. A startup e a ONG Olhar De Bia organizaram doações de alimentos e materiais de limpeza que juntos impactaram mais de 6000 pessoas. Desse modo, com ações de tal cunho, pouco a pouco espera-se que as organizações compreendam que este é um momento ímpar para mobilizar as forças e ajudar àqueles que mais necessitam de apoio.

Em momentos de crise surgem líderes. Independente do tamanho do impacto, o importante é dar o primeiro passo. Não devemos esperar apenas da esfera pública uma solução para a crise. Nesse momento, há muitos líderes transformando a realidade do Brasil. Basta cada um de nós nos inspirarmos em seus passos, contribuindo e trabalhando para fazer desse país o Brasil que sonhamos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.