‘Viúvo Negro’ descobre fraudes de R$ 5 mi em pensão por morte no Ceará

‘Viúvo Negro’ descobre fraudes de R$ 5 mi em pensão por morte no Ceará

Operação da Polícia Federal deflagrada nesta sexta-feira, 7, mira em esquema de benefícios previdenciários/ prejuízos ao Tesouro poderiam chegar a R$ 18 milhões

Luiz Vassallo

08 de abril de 2017 | 17h25

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

Foto: Reprodução/Sindicato dos Delegados da Polícia Federal

A Polícia Federal, a Secretaria de Previdência e o Ministério Público Federal deflagraram nesta sexta-feira, 7, a Operação Viúvo Negro, contra organização criminosa que fraudava benefícios previdenciários de pensão por morte no Ceará. O prejuízo aos cofres públicos alcança R$ 5 milhões, de acordo com a Secretaria de Previdência.

Em nota, a Polícia Federal afirmou que as investigações tiveram início em 2015, quando foram identificados um empresário e um contador supostamente líderes do esquema.

O contador já respondia processo na Justiça por receptação e associação criminosa. Os inquéritos, segundo a PF, apuravam a prática dos crimes em Fortaleza, Santa Quitéria e Reriutava, no Ceará.

Além do prejuízo aos cofres públicos na ordem de R$ 5 milhões, a Secretaria de Previdência estuma que, se os benefícios continuassem ativos, poderiam chegar a quase R$ 18 milhões.

A Justiça autorizou dois mandados de prisão preventiva, três de condução coercitiva e 10 de busca e apreensão.

A Justiça decretou, ainda, o bloqueio de bens dos investigados, ‘cujos valores reverterão para ressarcimento dos prejuízos causados ao patrimônio público’.

De acordo com a Polícia Federal, os presos serão indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, falsificação de documento público, falsificação de documento particular e falsidade ideológica, com penas que variam de um a seis anos de reclusão.

Tudo o que sabemos sobre:

Polícia FederalViúvo Negro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.