Violência policial é tema de seminário virtual que vai discutir o escândalo Favela Naval

Violência policial é tema de seminário virtual que vai discutir o escândalo Favela Naval

Caso emblemático expôs, em 1997, assassinato, tortura, agressões e extorsões praticados por PMs em Diadema, na Grande São Paulo

Redação

15 de junho de 2020 | 17h52

Depois do escândalo da Favela Naval, o currículo das academias policiais passou a incluir a disciplina de Direitos Humanos. Foto: ITAMAR MIRANDA/AE

O promotor José Carlos Blat, o jornalista Roberto Cabrini, o procurador Felipe Locke Cavalcanti e o advogado Ariel Castro participam nesta segunda, 15, de uma transmissão ao vivo sobre o escândalo Favela Naval.

O caso emblemático expôs, em 1997, assassinato, tortura, agressões e extorsões praticados por policiais militares em Diadema, na Grande São Paulo.

O debate virtual ‘O caso da Favela Naval — Aspectos penais, processuais penais e repercussão social e jurídica. A violência policial’, será transmitido a partir das 19h45 pelo canal da Uninove no YouTube.

Blat é o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo que investigou e denunciou o grupo de PMs envolvido nos crimes. Já Cavalcanti atuou como promotor no júri que condenou o comandante da tropa de policiais militares que invadiu a Casa de Detenção de São Paulo (Carandiru) em outubro de 1992. Ao fim da ação, foram encontrados 111 corpos, 102 deles com marcas de tiros.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.