Veja trechos da delação dos executivos que romperam cartel na Petrobrás

Julio Camargo e Augusto Mendonça estão colaborando com as autoridades e falaram sobre o 'clube' de empreiteiras que loteavam obras e pagavam propina na estatal

Redação

25 de novembro de 2014 | 14h58

Por Mateus Coutinho e Fausto Macedo

Na contramão das defesas das empreiteiras na mira da Lava Jato, os executivos Julio Camargo e Augusto Mendonça Neto, da Toyo Setal, decidiram colaborar com a Justiça e firmaram um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Em seus depoimentos, os executivos alegaram a existência de um “clube” formado pelo cartel de grandes empreiteiras do País que loteavam obras na estatal pagando propina a políticos e agentes públicos.

A versão vai de encontro ao que afirmou o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa em depoimento à Justiça Federal do Paraná, quando alegou que existia um cartel de grandes empresas atuando na estatal. A defesa das empreiteiras investigadas no esquema, contudo, alega que os executivos sofriam extorsões para pagar propinas e conseguir firmar os contratos com a estatal.

O MPF separou trechos das delações de Julio Camargo e Augusto Mendonça que citam o “clube” de empresas e o pagamento de propinas envolvendo Youssef, Renato Duque, Pedro Barusco e Paulo Roberto Costa.

VEJA OS TRECHOS DA DELAÇÃO DOS EXECUTIVOS DA TOYO SETAL CITADOS PELO MPF:

Documento

Documento

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoToyo Setal