Veja o pedido do PT, negado pela Justiça Federal, para Lula fazer campanha

Veja o pedido do PT, negado pela Justiça Federal, para Lula fazer campanha

Partido queria que Vara de Execução Penal de Curitiba liberasse ex-presidente para a convenção petista no dia 28 e para que ele participasse presencialmente ou em vídeo dos atos de pré-campanha e, posteriormente, da campanha

Redação

13 Julho 2018 | 05h00

Lula, em São Bernardo: último ato antes da prisão na Lava Jato. (AP Photo/Nelson Antoine)

O pedido do PT para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Operação Lava Jato, fosse autorizado a participar da convenção do partido no dia 28, para definição das candidaturas, e que desse entrevistas, fizessem pronunciamentos e participasse de debates e sabatinas como pré-candidato a presidente da República foi apresentado à Justiça Federal no início de junho.

Documento

O pedido foi negado nesta semana pela juíza federal Carolina Lebbos Moura, da 12.ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelo processo de execução da pena de 12 anos e um mês de prisão de Lula, no caso triplex do Guarujá.

A petição feita pelo PT e assinada pela presidente nacional do partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR), foi entregue em 8 de junho à Justiça. O documento é do escritório Aragão & Ferraro Advogados Associados, do ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão.

O argumento jurídico foi de que “por não existir condenação criminal transitada em julgado”, Lula “possui em sua integralidade todos os direitos políticos”.

O pedido foi feito na mesma semana em que o PT promoveu o ato de “lançamento oficial” da pré-candidatura de Lula ao Planalto, em Contagem (MG). Mesmo se a Justiça negar a possibilidade, Gleisi afirmou na ocasião que a campanha continuará. “Vamos fazer campanha independentemente das falas do presidente, ele vai escrever e todas as lideranças vão falar por ele.”

O PT pedia que fosse dado o direito a Lula de “participar de atos de pré-campanha e, posteriormente, da campanha, tais como entrevistas e debates”, que participasse por vídeo dos atos, o direito dele comparecer no próximo dia 28 da convenção nacional do partido, entre outras.