Vallisney nega prisão de Geddel

Vallisney nega prisão de Geddel

Juiz da 10ª Vara Federal de Brasília rejeita novo pedido de encarceramento do ex-ministro de Temer alegando que medida 'desrespeita decisão do TRF1 que concedeu regime domiciliar ao peemedebista

Fabio Serapião e Luiz Vassallo

13 Julho 2017 | 20h09

 

O juiz federal da 10ª Vara de Brasília, Vallisney de Oliveira, rejeitou nesta quinta-feira, 13, novo pedido de prisão preventiva do ex-ministro do governo Temer Geddel Vieira Lima – sob suspeita de pressionar o doleiro Lúcio Funaro evitar que sua delação premiada. O novo pedido de encarceramento de Geddel foi feito pela Procuradoria da República alegando que o peemedebista recebia ‘malas ou sacolas de dinheiro’ do doleiro.

Vallisney considerou que, embora a Procuradoria tenha alimentado que ‘surgiram novos elementos probatórios e fundamentos na investigação criminal que indicam a exploração de prestígio associado ao delito de embaraço à investigação de organização criminosa’, um novo decreto de prisão preventiva de Geddel desrespeita a decisão do desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1)

Na quarta-feira, 12, Bello autorizou o regime domiciliar a Geddel, que estava preso desde 3 de julho.