Vaccari diz que doação para irmão é ‘fruto de trabalho’

Ex-tesoureiro do PT, em nota de sua defesa, afirma que R$ 80 mil foram repassados ao irmão pela venda de imóvel que a mãe de ambos deixou de herança

Redação

07 de maio de 2015 | 16h44

Por Ricardo Brandt, Julia Affonso e Fausto Macedo

O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto afirmou nesta quinta feira, 7, que não há ilegalidade no repasse de R$ 250 mil que fez em favor de seu irmão, o zelador Antônio Carlos Vaccari – com o dinheiro, o irmão de Vaccari comprou uma casa no município de Bastos, interior de São Paulo.

Vaccari foi preso nesta terça-feira. Foto: Geraldo Bubniak/AGB

Vaccari foi preso nesta terça-feira. Foto: Geraldo Bubniak/AGB

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar suposto crime de lavagem de dinheiro. A Polícia suspeita que o ex-tesoureiro do PT lavou dinheiro com a compra do imóvel, no valor total de R$ 300 mil. O irmão de Vaccari ganha salário de R$ 1 mil por mês.

Para o delegado Sandro Resina Simões a operação pode caracterizar lavagem de dinheiro. O caso foi enviado nesta quarta-feira, 6, para a Polícia Federal em Curitiba (PR), onde o ex-tesoureiro está preso por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção no âmbito da Petrobrás.

Em nota, a defesa de João Vaccari Neto rebateu que a operação seja ilícita. O advogado Luiiz Flávio Borges D’Urso, que defende Vaccari, declarou que “tudo está absolutamente legal”. Segundo D’Urso, o ex-tesoureiro do PT “tem caixa suficiente para essa operação, fruto de recebimento pelo seu trabalho”.

O criminalista destaca que em depoimento do próprio Antônio Carlos Vaccari, perante a Polícia Civil de Bastos, ele disse que recebeu R$ 80 mil de seu irmão, João Vaccari Neto, “que adquiriu sua parte na propriedade de uma casa deixada em herança pela mãe deles”.

O valor restante, R$ 170 mil, “João Vaccari Neto transferiu a seu irmão por via bancária”.

“Não há qualquer sombra de dúvida quanto à origem lícita desses recursos”, crava Luiz Flávio Borges D’Urso.

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DE ESCLARECIMENTO DO CRIMINALISTA LUIZ FLÁVIO BORGES D’URSO

“A defesa de João Vaccari Neto vem a público esclarecer as notícias veiculadas nesta data, referentes à doação a seu irmão, Antônio Carlos Vaccari, morador da cidade de Bastos (SP), para aquisição de uma casa naquela cidade, no valor de R$ 250 mil reais, na qual reside seu irmão.

Tudo está absolutamente legal, pois João Vaccari tem caixa suficiente para essa operação, fruto de recebimento pelo seu trabalho. Segundo esclarecimentos do próprio Antônio Carlos Vaccari, prestados perante a Polícia Civil de Bastos, ele recebeu R$ 80 mil reais de seu irmão, João Vaccari Neto, que adquiriu sua parte na propriedade de uma casa deixada em herança pela mãe deles. O restante, no valor de R$ 170 mil, João Vaccari Neto transferiu a seu irmão por via bancária.

Não há qualquer sombra de dúvida quanto à origem lícita desses recursos.

São Paulo, 7 de maio de 2015.

Prof. Dr. Luiz Flávio Borges D’Urso

Tudo o que sabemos sobre:

João Vaccari Netooperação Lava Jato