‘Usar o dinheiro do traficante contra ele mesmo e tratar o dependente’, defende Moro

‘Usar o dinheiro do traficante contra ele mesmo e tratar o dependente’, defende Moro

Em sua conta no Twitter, ministro da Justiça e Segurança Pública comunica que Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) intensificou as vendas em leilões de bens sequestrados do tráfico

Pepita Ortega

17 de outubro de 2019 | 13h49

Sérgio Moro: ”. Foto: Amanda Perobelli/Reuters

O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) defendeu nesta quinta, 17, o emprego de recursos confiscados do tráfico para aperfeiçoar e ampliar o atendimento de dependentes de drogas. Em sua página no Twitter, Moro informou que a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), vinculada ao Ministério da Justiça, ‘intensificou as vendas em leilões de bens sequestrados ou confiscados do tráfico de drogas’.

O ministro aproveitou para criticar o sistema no País que aceita o emaranhado de recursos sem fim, dos quais se valem réus e investigados de toda sorte. “Mesmo antes do último recurso (recursos que nunca terminam, aliás). Usar o dinheiro do traficante contra ele mesmo e tratar o dependente.”

Até o fim de outubro, destacou o ministro, serão realizados cinco leilões ‘abertos à participação de cidadãos em todo o País’. “Até o final do ano, a previsão é que arrecadação chegue a R$ 100…”

Tudo o que sabemos sobre:

Sérgio Moro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: