‘Um ser possuído’, diz Renan sobre Deltan da Lava Jato

‘Um ser possuído’, diz Renan sobre Deltan da Lava Jato

Emedebista afirmou que coordenador da força-tarefa que investiga crimes na Petrobrás 'continua a proferir palavras débeis'; procurador vem pedindo a seguidores que assinem petição contra voto sigiloso à Presidência do Senado

Renato Onofre e Luiz Vassallo

15 Janeiro 2019 | 14h38

Reprodução do Twitter de Renan Calheiros

O senador Renan Calheiros (MDB), candidato à Presidência da Casa, afirmou, em seu Twitter, nesta terça-feira, 15, que o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, ‘continua a proferir palavras débeis, vazias, e com interesse político, como um ser possuído’.

Investigado na Operação Lava Jato, o emedebista tenta voltar ao comando do Senado. O voto sigiloso no pleito foi alvo de questionamentos no Supremo Tribunal Federal. O presidente da Corte, Dias Toffoli, rejeitou recurso para divulgar a escolha dos senadores ao cargo na última quinta-feira, 10.

Por meio das redes sociais, nesta segunda, 14, o chefe da força-tarefa compartilhou uma notícia do Correio Braziliense que mostra a votação secreta como um ‘trunfo’ do senador na disputa ao cargo. Ao lado da notícia, Deltan expõe sua opinião, pedindo que seus seguidores assinem um abaixo-assinado: “Em menos de três dias, 430 mil brasileiros já mandaram o recado: querem VOTAÇÃO ABERTA para as eleições dos presidentes do Congresso”.

“Mais de 500 MIL PESSOAS estão pedindo o #votoaberto. É um grito da sociedade pelo direito de acompanhar a posição de seus representantes nessa escolha que pode ser tão importante quanto a eleição de um Presidente da República”, afirmou Deltan, em outra publicação.