‘Um marco importante’, diz coordenador da delação da Odebrecht sobre homologação de Cármen

‘Um marco importante’, diz coordenador da delação da Odebrecht sobre homologação de Cármen

Criminalista Theo Dias destaca que decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal vem após um longo e complexo processo de negociação

Fausto Macedo, Fábio Serapião e Mateus Coutinho

30 de janeiro de 2017 | 13h54

Prédio da Odebrecht em São Paulo. Foto: Jf Diório/ Estadão

Prédio da Odebrecht em São Paulo. Foto: Jf Diório/ Estadão

O criminalista Theo Dias, que coordena a maior delação premiada da Operação Lava Jato, disse nesta segunda-feira, 30, que a decisão da ministra Cármen Lúcia de homologar a delação premiada dos 77 executivos, funcionários e ex-executivos da empreiteira Odebrecht representa um sinal importante.

“A decisão do Supremo Tribunal Federal constitui importante marco de um longo e complexo processo de negociação”, disse Theo. Ele não quis fazer mais comentários sobre a decisão de Cármen.

A negociação se prolongou por vários meses, sob forte tensão. No dia 19 de janeiro, o acidente que matou o ministro Teori Zavascki em Paraty (RJ) jogou a delação da maior empreiteira do País em um impasse – Teori era o relator da Lava Jato no Supremo.

Até agora, a Corte máxima não definiu quem será o novo relator.

Na semana passada, o procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu à ministra Cármen urgência na homologação da delação da Odebrecht.

Nesta segunda, 30, Cármen validou o grande acordo, após juízes auxiliares ouvirem, um a um, os 77 delatores. Todos afirmaram que decidiram colaborar espontaneamente.

Tudo o que sabemos sobre:

Odebrechtoperação Lava JatoSTF

Tendências: