Um juiz federal para a cadeira de Teori, pede entidade

Um juiz federal para a cadeira de Teori, pede entidade

Em nota pública, União Nacional de Juízes Federais, prega indicação de colega da classe da qual era originário ministro do Supremo Tribunal Federal que morreu no mar de Paraty nesta quinta, 19

José Nêummane e Fausto Macedo

20 de janeiro de 2017 | 10h47

Ministro Teori Zavascki. Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

Ministro Teori Zavascki. Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

Em nota pública divulgada nesta sexta-feira, 20, a União Nacional de Juízes Federais (Unajuf) pediu ‘zelo e cuidado’ na escolha do substituto do ministro Teori Zavascki, no Supremo Tribunal Federal (STF). Teori Zavascki, de 68 anos, morreu nesta quinta-feira, 19, em um acidente aéreo em Paraty, litoral do Rio.

“A entidade nesse mesmo momento manifesta seu zelo e cuidado pelo preenchimento da vaga deixada e cumpre à Unajuf o dever social decorrentes dos desafios da Operação Lava Jato, reconhecendo que ela constitui um patrimônio da sociedade, e como forma de valorizar a própria memória de S.Exa. e seu legado, cujo falecimento também poderá ser o marco para que as futuras indicações ao posto vago seja procedido mediante um processo democrático e transparente, vem a público conclamar a todas as associações de Juízes Federais, regionais ou nacionais, a indicarem lista tríplice ao Presidente da República para que preencha a vaga por Juiz Federal de Primeiro Grau, por ser anseio mais profundo de toda sociedade brasileira”, pediu a entidade.

A aeronave que levava Teori decolou do Campo de Marte, aeroporto localizado em São Paulo, às 13h, e caiu por volta das 13h45, segundo a Marinha.

Informações disponíveis no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) revelam que o Beechcraft C90GT tem capacidade para sete passageiros, além do piloto. É um avião bimotor turboélice fabricado pela Hawker Beechcraft. A aeronave PR-SOM está registrada em nome da Emiliano Empreendimentos e Participações Hoteleiras Limitada.

Relator da Lava Jato na Corte, o ministro era o responsável por conduzir os desdobramentos da maior investigação de combate à corrupção no País que envolvem autoridades com foro privilegiado.

Teori estava empenhado, nos últimos meses, na análise da delação premiada dos 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht, o mais importante acordo celebrado pela operação até aqui e que aguarda homologação.

Até então, o ministro já havia homologado 24 delações premiadas no âmbito da operação que implicam políticos dos principais partidos do País, da base e da oposição do governo federal.

Teori foi ministro do Supremo a partir de 29 de novembro de 2012. Ele presidiu a 2.ª Turma da Corte entre 2014 e 2015.

VEJA A ÍNTEGRA DA NOTA

NOTA PÚBLICA 01 DE 2017

A UNAJUF, entidade de âmbito nacional que congrega juízes federais exclusivamente da primeira instância, ainda perplexa com o acidente aéreo que vitimou um proeminente ministro da Suprema Corte do País, o ministro Teori Zavasckchi, vem a público prestar solidariedade e seu mais respeitoso sentimento de pesar à família enlutada e aos demais membros do STF.

A entidade nesse mesmo momento manifesta seu zelo e cuidado pelo preenchimento da vaga deixada e cumpre à UNAJUF o dever social decorrentes dos desafios da Operação Lava Jato, reconhecendo que ela constitui um patrimônio da sociedade, e como forma de valorizar a própria memória de S.Exa. e seu legado, cujo falecimento também poderá ser o marco para que as futuras indicações ao posto vago seja procedido mediante um processo democrático e transparente, vem a público CONCLAMAR a todas as associações de Juízes Federais, regionais ou nacionais, a indicarem lista tríplice ao Presidente da República para que preencha a vaga por Juiz Federal de Primeiro Grau, por ser anseio mais profundo de toda sociedade brasileira.

Brasil, 20 de Janeiro de 2017

Unajuf

Tendências: