‘Um incrível erro do Judiciário’, diz Marun

‘Um incrível erro do Judiciário’, diz Marun

Ex-ministro da Secretaria de Governo de Temer já chegou novamente na sede da Polícia Federal no Rio, onde ex-presidente está preso desde quinta, 21, sob suspeita de liderar organização criminosa há mais de 40 anos

Roberta Jansen / Rio

22 de março de 2019 | 11h43

O ex-ministro da Secretaria de Governo de Michel Temer, Carlos Marun, acaba de chegar à sede da Polícia Federal no Rio, onde o ex-presidente está preso desde a noite de quinta, 21, sob suspeita de comandar organização criminosa por mais de 40 anos, segundo o Ministério Público Federal.

Marun classificou a prisão de Temer como ‘um incrível erro do Judiciário’. Ele disse ter esperança de que a decisão seja revista e o ex-presidente colocado em liberdade.

O ex-ministro, que já tinha visitado Temer na noite desta quinta, 21, chamou a argumentação dos procuradores para justificar a prisão preventiva do ex-presidente de ‘festival de ilações’.

“Neste momento não me interessa o que dizem os juízes e os procuradores. Quero saber o que eles provam.”

Embora não seja defensor de Temer constituído no autos, Marun é advogado de profissão. Por isso, estaria recebendo permissão para visitar o ex-presidente.

Tudo o que sabemos sobre:

Carlos MarunMichel TemerPolícia Federal

Tendências: