Um adeus de saudade ao Malheiros

Um adeus de saudade ao Malheiros

Antonio Carlos Mathias Coltro*

19 de março de 2021 | 10h35

Antonio Carlos Mathias Coltro. FOTO: TJSP/DIVULGAÇÃO

O Tribunal de Justiça paulista perdeu nesta quarta-feira, 17, um de seus magistrados mais antigos. Aquele que imprimia em suas decisões o carinho que sentia pelo ser humano. Incansável defensor das lutas sociais, fará falta não só pelas convicções jurídicas e formação humanística, mas pela sensibilidade que imprimia no seu dia a dia.

Nascido nesta Capital em fevereiro de 1951, diplomou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1973, tornou-se Magistrado pelo honroso critério do Quinto Constitucional, na classe dos Advogados. Nomeado para integrar o E. 1º Tribunal de Alçada Civil de São Paulo em março de 1994, veio, posteriormente, em maio de 2001, a ser nomeado Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Graduado em Direito pela Universidade de São Paulo (1973), participou do mestrado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2002). Foi professor titular e pró-reitor de Cultura e Relações Comunitárias da mesma Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, professor titular da Faculdade de Direito Padre Anchieta e das Faculdades Integradas Rio Branco, além de expositor na Polícia Militar do Estado de São Paulo, OAB/SP, COGEAE-PUC-SP. Integrou a 3ª Câmara Direito Público e o E. Órgão Especial do Tribunal de Justiça, possuindo, ademais, experiência na área de Direito do Estado (Direito Constitucional, Direitos Humanos e Direito de Família).

Antonio Carlos Malheiros. FOTO: EPITACIO PESSOA/ESTADÃO

Amigo de todos e dedicando atenção esmerada a cada um, preocupando-se em especial com os servidores judiciais, foi designado por mais de uma vez pela Presidência da Corte para integrar a Caps – Coordenadoria de Apoio aos Servidores. Ali atuou comigo, com os Desembargadores Marco Antonio de Lorenzi e Carlos Otávio Bandeira Lins; e com a Coordenadora do setor, Patrícia de Rosa Pucci Canavarro.

No exercício da Advocacia atuou da mesma forma, integrando inúmeras entidades de Classe, mencionando sua atuação na Pastoral do Menor, fruto do interesse que sempre manifestou quanto aos problemas sociais e suas implicações. Malheiros deixa, além do aperto no peito, um enorme legado jurídico e social.

Deixa também para todos os que o conheceram ou com ele trabalharam, a efetiva lembrança de tudo o que realizou e a preocupação humanitária que o orientou.

Nesta manifestação ficam a despedida, a homenagem e o respeito dos servidores e seus colegas integrantes da Caps.

*Antonio Carlos Mathias Coltro, desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e coordenador da Caps

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.