TST manda indenizar família de ex-funcionário de banco chamado de ‘corpo mole’ e ‘frescura’

TST manda indenizar família de ex-funcionário de banco chamado de ‘corpo mole’ e ‘frescura’

Ex-funcionário já falecido foi humilhado pela gerente da agência, segundo decisão do Tribunal Superior do Trabalho

Paulo Roberto Netto

27 Novembro 2018 | 05h00

Foto: Igo Estrela/TST

O Tribunal Superior do Trabalho condenou o Bradesco a pagar R$ 10 mil em indenizações a um ex-funcionário já falecido chamado de ‘corpo mole’ pela gerente da agência. O valor será adicionado ao espólio do ex-funcionário. A Corte revisou decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 1.ª Região, que havia negado o pedido de reparação movido pela família.

Documento

Nos autos, a viúva afirmou que o funcionário, ao relatar sua doença, ouviu a gerente dizer que ele estava fazendo ‘corpo mole’ e que a situação dele era ‘frescura’.

No TRT-1, os desembargadores entenderam que não ficou comprovado que o assédio moral se tratou de uma perseguição, injusta pressão ou depreciação de forma sistemática e frequente.

“O simples fato (revelado pela testemunha) de, em uma única oportunidade, a gerente ter dito que o colega estava fazendo ‘corpo mole’ e que a sua doença era ‘frescura’ não configura assédio moral”, alega decisão do TRT-1, ao negar indenização.

A viúva recorreu ao Tribunal Superior do Trabalho alegando que ‘o assédio se caracterizou na atitude da gerente, que destratou o empregado de forma humilhante perante outros colegas’.

O entendimento foi aceito pelo ministro José Roberto Pimenta, que afirma ser ‘inquestionável’ o ‘desconforto pessoal e constrangimento público’ provocado pela gerente.

“Desse modo, diante do contexto fático delineado no acordão regional, verifica-se que a situação de desrespeito e desmoralização vivenciada pelo autor falecido realmente atentaram contra a sua dignidade, a sua integridade psíquica e o seu bem-estar individual, o que enseja a devida reparação moral”, afirmou.

O ministro acatou recurso e condenou o Bradesco a pagar R$ 10 mil de indenizações que serão adicionadas ao espólio do ex-funcionário.

COM A PALAVRA, O BRADESCO
A reportagem entrou em contato com a assessoria do Banco Bradesco e aguarda retorno.