‘TSE tem um quadro ‘qualificadíssimo’ para as ações’, diz Alcolumbre

‘TSE tem um quadro ‘qualificadíssimo’ para as ações’, diz Alcolumbre

Presidente do Senado comentou decisão do Supremo sobre o envio à Justiça Eleitoral de investigações sobre crimes comuns conexos com eleitorais

Teo Cury/BRASÍLIA

15 de março de 2019 | 00h33

Davi Alcolumbre. Foto: Moreira Mariz/Agência Senado

BRASÍLIA – O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) disse nesta quinta-feira, 14, que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de que crimes como corrupção e lavagem sejam julgados na Justiça Eleitoral se estiverem relacionados a caixa dois de campanha “é do Supremo, e decisão judicial se cumpre e não se discute”.

Questionado sobre se há algum temor de sua parte, como presidente do Senado, de que a justiça eleitoral não tenha condições de se aprofundar nessas investigações, o presidente negou. “Do ponto de vista da instituição do Senado, e como presidente, eu compreendo que o TSE tem um quadro qualificadíssimo para promover o processamento dessas ações.”

O placar do julgamento no Supremo foi apertado, por seis votos a cinco, e marcado por duras críticas a membros do Ministério Público Federal, que são contrários ao entendimento firmado pela maioria da Corte. O voto decisivo foi dado pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que, como outros cinco colegas, é contrário a separar crimes comuns e delito eleitoral quando há conexão entre eles.

De acordo com ele, a justiça eleitoral é eficiente e “tem um quadro altamente qualificado, composta por ministros do Supremo, ministros do STJ e juristas”. “E nada mais justo que a justiça eleitoral, a partir dessa decisão do STF, se debruce em temas que dizem respeito a processo eleitoral.”