TSE barra candidatura de Acir Gurgacz ao governo de Rondônia

TSE barra candidatura de Acir Gurgacz ao governo de Rondônia

Decisão do Tribunal Superior Eleitoral confirma indeferimento pelo TRE com base na Lei da Ficha Limpa; pedetista está condenado a 4 anos e seis meses de prisão em regime semiaberto por suposto crime financeiro

Caio Blois, especial para o Estado

04 Outubro 2018 | 17h34

Senador Acir Gurgacz (PDT-RO). FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

O Tribunal Superior Eleitoral negou um recurso do senador Acir Gurgacz (PDT) e o manteve fora da disputa pelo governo de Rondônia. A decisão, com base na Lei da Ficha Limpa, confirma indeferimento do Tribunal Regional Eleitoral do estado. Gurgacz foi condenado por fraude contra o sistema financeiro.

Procuradoria pede a TSE que suspenda campanha e repasse de recursos públicos a Gurgacz

De acordo com o TSE, Acir não poderá mais fazer campanhas eleitorais no estado. Seu partido, o PDT, está proibido de fazer novos repasses de recursos.

O TRE de Rondônia já havia indeferido a candidatura do pedetista, que entrou com recurso no TSE. Na manhã desta quinta, 4, o TSE decidiu por negar a tentativa do senador, a poucos dias da eleição.

STF determina imediata execução da pena de Acir Gurgacz

Acir Gurgacz está em segundo lugar nas intenções de voto para o governo de Rondônia. As projeções colocam o senador no segundo turno com Expedito Júnior (PSDB), líder das pesquisas – curiosamente, o tucano foi afastado pelo STF do cargo de senador em 2009, devido a acusações de compra de votos e abuso de poder econômico, e, na ocasião, acabou substituído por Acir, segundo colocado no pleito de 2008.

Relembre o caso

O senador por Rondônia foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal a 4 anos e 6 meses de prisão em regime semiaberto por crimes contra o sistema financeiro. Na mesma sentença, Acir foi condenado a pagar 228 dias-multa, cada dia equivalente a cinco salários mínimos vigentes à época dos crimes. Ao ser condenado, o senador considerou a decisão ‘injusta’.

O STF negou um recurso de Acir em 25 de setembro. Ele chegou a ter a a prisão determinada pelo Supremo, mas o mandado de prisão não foi expedido por causa da vedação do período eleitoral, que proíbe prisão de candidato, exceto em flagrante.

COM A PALAVRA, ACIR GURGACZ

A reportagem fez contato com a assessoria do senador Acir Gurgacz. O espaço está aberto para manifestação.