TSE abre teste de segurança e simula 29 planos de ataque de ‘hackers do bem’ ao sistema eletrônico de votação

TSE abre teste de segurança e simula 29 planos de ataque de ‘hackers do bem’ ao sistema eletrônico de votação

Ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, destaca que a meta é aprimorar os sistemas para as eleições de 2022 mediante investidas de pessoas e instituições

Redação

22 de novembro de 2021 | 21h51

Teste Público de Segurança 2021 do Sistema Eletrônico de Votação. Foto: TSE/Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral deu início nesta segunda-feira, 22, ao Teste Público de Segurança 2021 do Sistema Eletrônico de Votação, evento em que 26 investigadoras e investigadores vão tentar executar 29 planos de ataque nos hardwares e nos sistemas que serão utilizados nas eleições de 2022. O teste tem previsão de encerramento na sexta-feira, 26, e pode ser acompanhado pelo canal da corte eleitoral no YouTube.

O acesso aos códigos-fonte dos sistemas eleitorais são disponibilizados pelo TSE aos participantes do Teste Público de Segurança para que eles possam realizar planos de ataque para tentar descobrir eventuais vulnerabilidades nos sistemas, explicou o presidente da corte eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso.

“Nós procurarmos aprimorar os sistemas mediante ataques de pessoas físicas, instituições, hackers do bem, que queiram tentar vulnerar as diferentes camadas de proteção do sistema. É uma parceria com a sociedade. Não é um confronto. Isso porque essas pessoas estão nos ajudando a melhorar o sistema”, pontuou em cerimônia realizada na tarde desta segunda-feira, 22, na abertura do TPS.

Ainda segundo Barroso, se participantes do TPS encontrarem qualquer vulnerabilidade durante a execução dos planos de ataque, ela será corrigida, sendo os responsáveis pelo respectivo plano convidados, em momento oportuno, a verificar se a questão foi solucionada. As informações foram divulgadas pelo tribunal.

O ministro explicou ainda que o TPS é o segundo momento do Ciclo de Transparência das Eleições, tendo o primeiro ocorrido em outubro, com a abertura dos códigos-fonte dos sistemas eleitorais, a um ano das Eleições 2022, para que partidos políticos e diversas instituições públicas e privadas possam fazer as inspeções que desejarem.

“O TPS é o segundo momento do processo eleitoral. O primeiro momento é a abertura do código-fonte para todos os partidos e entidades fiscalizadoras terem acesso e poderem conhecer e ver o programa”, afirmou Barroso, ressaltando o constante desenvolvimento das tecnologias para fortalecer a segurança e a integridade da votação eletrônica.

O Teste Público de Segurança ocorre desde 2009, sempre no ano que antecede uma eleição e compõe, de maneira permanente, o calendário de atividades de preparação de um pleito.

O espaço do TPS 2021 funcionará até as 18h nesta segunda-feira, das 9h às 18h, nos dias 23, 24 e 25, e das 9h às 17h, no dia 26 de novembro. Nos dias do Teste Público, os participantes poderão acessar os componentes internos e externos da urna, como os utilizados para a geração de mídias, votação, apuração, transmissão e recebimento de arquivos.

Na cerimônia desta segunda, Barroso ainda destacou o Programa de Enfrentamento à Desinformação do TSE e outras iniciativas tomadas pela corte eleitoral, como a assinatura de convênio com a Universidade de São Paulo (USP) com o objetivo de reduzir os custos das eleições na forma de equipamentos e as futuras campanhas sobre o funcionamento das urnas, a valorização da democracia e a associação da Justiça Eleitoral com os 200 anos da Independência do Brasil, a serem comemorados em 2022.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.