Justiça condena técnica em enfermagem que desviava remédios para pagar salão de beleza

Justiça condena técnica em enfermagem que desviava remédios para pagar salão de beleza

‘Depósito’ de medicamentos e suprimentos roubados de pronto-socorro foi encontrado na casa de suspeita; materiais eram usados para fins privados.

Redação

07 de janeiro de 2021 | 17h04

tribunal-justica-acre-servidora-peculato-roubo-remedio

Imagem meramente ilustrativa. Foto: Bruno Cecim/Ag.Pará

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) reafirmou a condenação de uma técnica de enfermagem, acusada de furto de insumos médicos, incluindo remédios e injetáveis, de um pronto-socorro, onde trabalhava. A ré era funcionária pública e foi incriminada por peculato, quando há desvio de verba ou patrimônio público. Ela havia entrado com uma apelação, que pretendia a sua absolvição do caso.

De acordo com a decisão, foi encontrado na casa da mulher um depósito com diversos materiais médicos roubados. Ela confirmou que praticava os crimes e alegou que outros servidores também se valiam da mesma prática ilegal. No entanto, o argumento, que visava a sua absolvição, foi considerado improcedente. 

Segundo informações contidas no processo, a servidora utilizava os itens com fins privados como aplicar medicamentos injetáveis em seu ex-marido e pagar serviços de salão de beleza. Com a negativa da Câmara Criminal, a técnica em enfermagem deve cumprir a condenação de prestação de serviços à comunidade durante três anos e três meses e o pagamento de um salário mínimo como prestação pecuniária.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.