Tribunal nega recurso e manda prender Azeredo

Tribunal nega recurso e manda prender Azeredo

Desembargadores mineiros determinaram ainda emissão imediata de mandado de encarceramento contra o ex-governador no Mensalão tucano

Leonardo Augusto, especial para o Estado

22 Maio 2018 | 20h45

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Belo Horizonte – O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), rejeitou, por 5 a 0, o último recurso cabível contra a condenação do ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo, a 20 anos e um mês de prisão por participação no Mensalão Mineiro. Os magistradas determinaram ainda emissão imediata de mandado de prisão contra o tucano. Por 4 a 1, desembargadores rejeitaram pedido da defesa para que o tucano aguardasse em liberdade o julgamento de embargos declaratórios.

+ Azeredo se diz ‘injustiçado’ e afirma nunca ter cometido crimes

Segundo a sentença de Azeredo em primeira instância, o início do cumprimento da pena deve ocorrer esgotada a possibilidade de recursos na Justiça do estado. O ex-governador completa 70 anos em setembro. Nessa idade está prevista a prescrição da pena, que leva em consideração datas como a da apresentação da denúncia. A condenação de Azeredo a 20 anos e um mês de cadeia é por peculato e lavagem de dinheiro.

+ ‘Que Deus ilumine os desembargadores’, diz Azeredo

De acordo com a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Azeredo foi um dos principais articuladores do esquema, que, ainda conforme a promotoria, funcionava retirando recursos de estatais como o Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), e os repassava para a campanha pela reeleição de Azeredo, em 1998. Na disputa, o tucano foi derrotado por Itamar Franco. O esquema segundo MP utilizava agências de publicidade de Marcos Valério para a movimentação dos recursos.

+ Tribunal mantém condenação de Azeredo

Em entrevista ao Estado antes do julgamento, Azeredo disse se sentir injustiçado. “Nunca cometi nenhum crime. A população de Minas Gerais conhece minha vida a fundo. Sou absolutamente inocente”.

+ Azeredo ganha mais tempo para recorrer de condenação no Mensalão tucano

Azeredo disse ainda que “inúmeros depoimentos que me inocentaram não foram reconhecidos (no processo). Houve extrapolação da acusação. Irei recorrer à instâncias superiores”. Rejeitaram o recurso, chamado embargos declaratórios, até o momento, os desembargadores Júlio César Lorens, Alexandre Victor de Carvalho e Pedro Vergara.

COM A PALAVRA, O ADVOGADO CASTELLAR NETO, QUE DEFENDE AZEREDO

O advogado do ex-governador, Castellar Neto, afirmou que “a tendência” é que o tucano se entregue ainda hoje. Neto disse, no entanto, que vai discutir no juizado de primeira instância “pontos” para a apresentação do ex-governador. Azeredo aguarda ainda decisão sobre habeas corpus apresentado no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo informações do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o mandado de prisão já está sendo redigido para entrega à primeira instância, e à Polícia Civil, para cumprimento.

Mais conteúdo sobre:

Eduardo Azeredo