Pimentel réu por caixa 2 de R$ 1,5 mi

Pimentel réu por caixa 2 de R$ 1,5 mi

Ex-governador petista de Minas é acusado de doações irregulares para a campanha ao Senado, em 2010, quando não foi eleito; Tribunal Regional Eleitoral aceitou denúncia

Rene Moreira, especial para o Estado

11 de abril de 2019 | 20h34

Governador Fernando Pimentel (PT). Foto: UARLEN VALÉRIO/O TEMPO

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) acatou denúncia contra o ex-governador Fernando Pimentel (PT) por falsidade ideológica. O petista é acusado de prática de caixa 2 para omitir R$ 1,5 milhão em doações para sua campanha ao Senado em 2010 – Pimentel não foi eleito na disputa.

Segundo a denúncia, o ex-governador ocultou as doações “mediante omissão de recibos eleitorais”. O dinheiro, afirma a acusação formal, saiu de uma empresa da área de construção civil e de um sindicato. No total, Pimentel declarou ter recebido R$ 10.175.199,26 na campanha de 2010 e gastos de R$ 10.168.484,47.

A denúncia foi aceita pela juíza Luzia Peixoto, da 32.ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, que já havia tornado Pimentel réu em outro processo, por tráfico de influência.

Procurada, a defesa informou que vai se manifestar somente nos autos do processo.

Tendências: