Tribunal derruba decisão que suspendia alta do combustível

Tribunal derruba decisão que suspendia alta do combustível

Decisão atende a recurso da Advocacia-Geral da União

Fausto Macedo e Julia Affonso

26 de julho de 2017 | 17h52

Foto: Nilton Fukuda/Estadão

O Tribunal Regional Federal da 1.ª Região derrubou nesta quarta-feira, 26, a suspensão do Decreto 9.101/2017, do Governo Michel Temer, que ampliou impostos sobre combustíveis. A decisão do presidente da Corte federal, desembargador Hilton José Gomes de Queiroz, restabelece as alíquotas previstas no decreto e atende a recurso da Advocacia-Geral da União.

A suspensão do aumento dos combustíveis havia sido ordenada na terça-feira, 25, pelo juiz Renato Borelli, da 20.ª Vara Federal, em Brasília, em ação popular. Borelli chegou a impor sanção diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento de sua decisão à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Hilton José Gomes de Queiroz. Foto: TRF1

População pode até compreender, mas que seja aumento responsável, diz juiz que barrou decreto de Temer

Juiz ordena ‘imediato retorno’ dos preços dos combustíveis

Deltan ironiza Temer: ‘É claro que os brasileiros vão compreender’

A ação popular foi ajuizada pelo advogado Carlos Alexandre Klomfahs para ‘suspender, liminarmente, os efeitos do Decreto nº 9.101, de 20 de julho de 2017, que aumentaram as alíquotas da contribuição para o PIS/PASEP e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – COFINS, incidentes sobre a importação e a comercialização de gasolina, óleo diesel, gás liquefeito de petróleo (GLP), querosene de aviação e álcool’. O autor alegou ‘infringência ao princípio da legalidade tributária’.

Tudo o que sabemos sobre:

GasolinaMichel Temer

Tendências: