Tribunal de Minas confirma bloqueio de R$ 778 mi de Thor Batista

Tribunal de Minas confirma bloqueio de R$ 778 mi de Thor Batista

Três desembargadores confirmaram decisão liminar de juíza para embargar contas de filho de Eike Batista

Fernando Scheller

31 de julho de 2019 | 05h05

Foto: Wilton Junior/Estadão

Em julgamento de recurso, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais confirmou nesta terça-feira, 30, o bloqueio de R$ 778 milhões de Thor Batista, filho do empresário de Eike Batista. O processo é movido por Bernardo Bicalho, administrador judicial da MMX, mineradora do grupo do empresário que tem sede em Minas e que está em recuperação judicial.

Três desembargadores do TJ mineiro confirmaram decisão proferida pela juíza Cláudia Helena Batista, da 1.ª Vara Empresarial de Belo Horizonte, em março.

Segundo o advogado Rodrigo Kaysserlian, presidente do Instituto Brasileiro de Rastreamento de Ativos, que ajuda a reunir os recursos em nome de Thor, a decisão dos desembargadores se limita ao bloqueio do dinheiro.

O processo continua na primeira instância, para julgamento de mérito.

Embora os credores da MMX tenham aceitado um acordo que acarretará em descontos nos valores que têm a receber, Kaysserlian diz que a ação relativa a Thor tem o objetivo de reforçar o entendimento de que esse tipo de abatimento vale para os recursos da empresa, e não para bens relacionados aos donos da mesma.

Segundo ele, o processo pode representar uma quebra de paradigma dentro das regras de recuperação judicial no Brasil. “O cenário é super grave, e a investigação judicial sobre os recursos, alocados em offshores fora do Brasil em nome de Thor Batista, está em curso”, disse o advogado ao Estado.

COM A PALAVRA, EIKE

Procurado, o empresário Eike Batista não respondeu o contato até o fechamento da reportagem. O espaço está aberto para manifestação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.