Três inovações sustentáveis para ajudar o planeta

Três inovações sustentáveis para ajudar o planeta

Manuel Macedo*

05 de novembro de 2021 | 05h45

Manuel Macedo. FOTO: DIVULGAÇÃO

Um dos temas centrais da agenda global é como contribuir para aquele que, talvez, seja o maior desafio de nosso tempo: deter as mudanças climáticas. Embora o mundo tenha dado passos muito significativos nos últimos anos, ainda é necessário que as indústrias e os líderes empresariais também redobrem seus esforços para criar soluções que nos ajudem a ter um futuro melhor.

O compromisso com a sustentabilidade é particularmente relevante para a América Latina e o Caribe, onde devido à natureza das economias da região, a crise climática poderia resultar na perda de 2,5 milhões de empregos até 2030, enquanto os danos causados por esse fenômeno chegariam a 100 bilhões de dólares por ano até 2050, de acordo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Em contrapartida, a transição para uma economia verde pode se traduzir na criação de 15 milhões de empregos na região, segundo estimativas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Uma das estratégias mais importantes para alcançar um mundo mais sustentável é a neutralidade de carbono. Por isso, é uma das prioridades promovidas pela Organização das Nações Unidas (ONU), que tem conseguido engajar países que representam mais de 65% dos gases nocivos do efeito estufa e mais de 70% da economia global para alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

Alinhadas a esses objetivos, as empresas também traçaram o caminho para atingir esta neutralidade. No caso da Honeywell, além de nos comprometermos a alcançar esta meta até 2035, alocamos 50% de nosso orçamento de pesquisa e desenvolvimento para a criação de tecnologias que tenham um impacto positivo sobre o meio ambiente.

Investir em tecnologias de ponta que transformam os setores e a maneira como vivemos é fundamental para criar um futuro melhor. Prova disso são três inovações interessantes que podem transformar a nossa interação com o meio ambiente em campos tão diversos como a mobilidade, o armazenamento de energia ou mesmo nos edifícios que habitamos.

1. Células de combustível de hidrogênio para alimentar aviões e táxis aéreos. Essa tecnologia converte a energia química armazenada na bateria em eletricidade, como em uma bateria convencional. A mais comum é a célula a combustível de hidrogênio, que pode ser usada em sistemas de propulsão de aeronaves. De acordo com a McKinsey, as células de combustível de hidrogênio podem reduzir o impacto climático da aviação em até 90%, portanto, serão especialmente importantes à medida que o futuro do transporte muda para táxis aéreos de longo alcance.

2. Captura e armazenamento de carbono. Instalações industriais, de usinas de gás natural a siderúrgicas ou cimenteiras, produzem gases. A tecnologia de captura de carbono separa o CO2 desses gases e o reutiliza ou armazena permanentemente no subsolo. O processo também produz hidrogênio com baixo teor de carbono em escala, que é uma fonte de energia limpa amplamente utilizada.

3. Inteligência Artificial e Machine Learning em edifícios. Tecnologias como Inteligência Artificial e Machine Learning em edifícios otimizam o uso de energia, principalmente eletricidade e gás. Por exemplo, prédios com escritórios podem ligar e desligar automaticamente o ar-condicionado no verão e desligar as luzes quando os trabalhadores saem de suas posições de suas mesas e postos de trabalho. O impacto positivo dessa tecnologia é enorme, se levarmos em conta que o consumo de energia em edifícios comerciais representa mais de 36% da energia global e quase 40% das emissões totais de CO2, de acordo com a Agência Internacional de Energia.

Estou convencido de que estamos em um ponto de inflexão no que diz respeito à sustentabilidade e a inovação é uma das chaves para um futuro melhor. Se existe algo que atualmente une a humanidade, é a necessidade de cuidarmos do nosso planeta e para isso devemos contribuir com o que está em nossas mãos para fazer a diferença.

*Manuel Macedo, presidente da Honeywell América Latina

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.