PF vasculha gabinete de deputada em nova fase da Operação História de Pescador

PF vasculha gabinete de deputada em nova fase da Operação História de Pescador

Agentes da PF fizeram buscas no gabinete da deputada Simone Morgado (PMDB-PA), mulher do senador Jader Barbalho (PMDB-PA); alvo da ação é ex-servidora da parlamentar

Luiz Vassallo e Julia Affonso

23 Março 2017 | 12h54

Foto: PF

Foto: PF

Atualizada às 13h58

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 23, a segunda fase da Operação História de Pescador. O alvo das investigações é um esquema que teria fraudado em R$ 185 milhões o cadastro de pescadores na Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura no Pará, vinculada ao extinto Ministério da Pesca.

Agentes da PF fizeram buscas no gabinete da deputada Simone Morgado (PMDB-PA), mulher do senador Jader Barbalho (PMDB-PA), na Câmara. A parlamentar não é alvo da operação. A História de Pescador mira em uma ex-servidora do gabinete de Simone Morgado que foi Superintendente de Pesca no Estado do Pará.

Auditoria da Pasta sobre a Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura no Pará em 2016 identificou 55 mil inscrições e manutenções de licenças no Sistema sem conferência de processos físicos. O prejuízo potencial chegou aos R$ 185 milhões por ano, de acordo com informações da pasta.

A ação cumpre seis mandados de busca e apreensão e três de condução coercitiva. Além dos policiais federais, quatro auditores da CGU atuam nesta etapa da História de Pescador.

A investigação desta fase começou na primeira etapa da operação, em maio de 2016. O Ministério da Transparência, que auxilia a PF nas investigações, informa que, foi constatado que pessoas sem vínculo com o órgão acessavam sistemas internos para alterar dados do cadastro de pescadores. Os criminosos, segundo a pasta, contavam com o auxílio de agentes públicos.

Foi constatado, segundo a Transparência, ainda que as assinaturas dos pescadores no cadastro eram diferentes das que constavam em documentos pessoais. Com acesso ao registro dos profissionais, o suspeitos poderiam, por exemplo, ter acesso ao seguro defeso – concedido a pescadores em épocas nas quais a pesca é proibida para a manutenção da fauna.

COM A PALAVRA, A DEPUTADA SIMONE MORGADO (PMDB-PA)

A assessoria da deputada Simone Morgado (PMDB-PA) que ela não tem envolvimento no caso, que não abriga mais a servidora e que esta é uma questão pessoal da ex-funcionária.

COM A PALAVRA, O MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO

O Ministério da Indústria e Comércio foi procurado pela reportagem, mas ainda não respondeu aos questionamentos. O espaço está aberto para manifestação.

Notícias relacionadas