Torquato avisa gestores públicos que ‘não vale a pena correr riscos’

Torquato avisa gestores públicos que ‘não vale a pena correr riscos’

Ao anunciar a realização do Encontro Município Transparente, marcado para dia 6, ministro da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) alerta que está 'muito difícil burlar a lei para obter alguma vantagem'

Fausto Macedo e Mateus Coutinho

02 de fevereiro de 2017 | 15h53

torquatojardim

O ministro Torquato Jardim (Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) disse que ‘é preciso que o gestor municipal se dê conta que não vale a pena correr riscos’.

Torquato alerta ‘que os modernos meios de acompanhamento de contas tornam muito difícil burlar a lei para obter alguma vantagem’.

O ministro anunciou nesta quinta-feira, 2, a realização do Encontro Município Transparente, marcado para a próxima segunda, 6, evento que busca orientar gestores e a sociedade na aplicação dos recursos federais.

”Iremos ajudar o prefeito a criar uma Administração Pública preventiva”, declarou Torquato.
No total, 5.268 inscrições já estão confirmadas. Entre os participantes estão prefeitos, vice-prefeitos, secretários, assessores, controladores municipais e representantes da sociedade civil. Eles serão orientados sobre medidas de aperfeiçoamento da gestão, prevenção e combate à corrupção e incentivo à transparência das informações públicas e gastos governamentais.

“Queremos mostrar o novo papel do Ministério da Transparência: de ser didático, parceiro, de ajudar antecipadamente e, assim, criar uma Administração Pública preventiva”, afirma Torquato.

O Encontro será conduzido pelas Controladorias Regionais da União nos 26 estados. O evento ocorrerá simultaneamente em todas as capitais, com exceção de Aracaju (SE), que sediará a conferência no município de São Cristóvão. As vagas são limitadas. Em alguns locais a capacidade dos auditórios foi totalmente preenchida.

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

CGUTorquato Jardim

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.