Toffoli pede informações a juíza de Minas para decidir sobre pedido de suspensão de interrogatório de Aécio

Toffoli pede informações a juíza de Minas para decidir sobre pedido de suspensão de interrogatório de Aécio

Defesa do tucano, que alega não ter tido acesso à integra do inquérito sobre supostas irregularidades na construção da Cidade Administrativa de Minas Gerais, recorreu ao Supremo Tribunal Federal para adiar depoimento

Rayssa Motta/SÃO PAULO e Rafael Moraes Moura/BRASÍLIA

28 de julho de 2020 | 17h54

O deputado federal Aécio Neves. Foto: Ernesto Rodrigues / Estadão

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, quer ouvir a juíza responsável pelo processo sobre supostas irregularidades na construção da Cidade Administrativa de Minas Gerais, sede do governo mineiro, antes de se manifestar sobre a suspensão do depoimento do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) no caso. O interrogatório está marcado para 6 de agosto.

Documento

Em despacho assinado na segunda, 27, Toffoli deu 48 horas para que a magistrada da Vara de Inquéritos Policiais da Comarca de Belo Horizonte se manifeste sobre as alegações da defesa do tucano, que diz não ter tido acesso aos depoimentos prestados pelos diretores da construtora OAS e da Santa Bárbara Engenharia. Os advogados sustentam que ‘foi negado o acesso da defesa a elementos de provas utilizados no relatório final da autoridade policial’.

De acordo com as delações, o então governador de Minas Gerais foi beneficiado em esquema de superfaturamento da obra e desvio de recursos públicos, cujo prejuízo é estimado pela Polícia Federal em R$ 747 milhões em valores atualizados.

Em maio, o tucano foi indiciado no caso por corrupção passiva e ativa, desvio de recursos públicos e falsidade ideológica.

Tudo o que sabemos sobre:

Aécio NevesDias Toffoli

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.