TikTok é próxima bola da vez na Educação

TikTok é próxima bola da vez na Educação

Luiz Alexandre Castanha*

03 de setembro de 2020 | 11h30

Luiz Alexandre Castanha. FOTO: DIVULGAÇÃO

Se você ainda não conhece ou ‘torce o nariz’ para o TikTok, aplicativo que possibilita fazer vídeos de 15 segundos com fundo musical, saiba que está perdendo tempo.

Baixado mais de 2 bilhões de vezes em smartphones iOS e Android desde a sua criação, em 2017, o app que é sucesso entre os jovens é a próxima grande promessa de utilização na educação.

A hashtag #LearnOnTikTok teve mais de 21 bilhões de visualizações! E o resultado foi despertar, logicamente, o interesse da gigante das mídias sociais. A aposta é utilizar o conhecimento de especialistas e instituições para produzir conteúdos exclusivos para a plataforma.

O anúncio, feito em junho, já está a pleno vapor. Os vídeos da matemática britânica Rachel Riley ajudam no desenvolvimento de habilidades na matéria já têm mais de 2,6 milhões de visualizações!

E, ao contrário da massa de vídeos feitos pelos usuários, os de Rachel e também do cientista americano Bill Nye são produzidos profissionalmente, significando uma mudança de paradigmas na plataforma.

Mas aí você pode se perguntar: é possível aprender algo em apenas 15 segundos? A resposta é: sim, muito mais do que você imagina! É colocar em prática um conceito já bem difundido na educação online: o de microaprendizagem.

O segredo não é contar a história do mundo em um tempo tão curto, mas sim fatiar o conteúdo e explorar pequenas pílulas durante o período. E isso já tem sido feito em escolas americanas.

A filosofia é que não tem sentido lutar contra as mídias sociais. O conteúdo é postado e compartilhado em grupos fechados, com os alunos inclusive sendo estimulados a também criar conteúdos pertinentes ao tema ensinado.

E por falar em  e-learning, o TikTok também está ‘invadindo’ este mercado. O aplicativo entrou, há alguns meses, ao lançar o programa #EduTok na Índia. Sucesso estrondoso, já são quase 123 bilhões de visualizações.

Também feito por meio de parcerias com entidades importantes do país, são realizados vídeos sobre uso de novas tecnologias, dicas de vida, conselhos de carreira, discursos motivacionais e educacionais.

A colaboração realmente faz parte da estratégia da empresa na Índia. Outra parceria do TIk Tok foi com a Josh Talks, plataforma de mídia que tem como objetivo elevar as aspirações dos jovens do País, e a The/Nudge Foundation, ONG focada no alívio da pobreza de forma sustentável e escalável.

Reino Unido, Estados Unidos e Índia, entre outros países, vêm recebendo investimentos massivos quando o assunto é a criação de conteúdos voltados à educação. Estratégia igual ao do YouTube que em 2019 lançou um um programa de aprendizagem?

Não exatamente. Enquanto o YouTube se dedica à listas de reprodução com tutoriais completos sobre os mais diversos assuntos, o TikTok se concentra em conteúdos super curtos e mais focados em dicas e vídeos motivacionais. O que é a mais a sua ‘cara’.

E o que a plataforma planeja para o futuro? Com certeza fazer com que você se renda ao seu potencial educativo, a utilizando no dia a dia, com certeza está entre os planos.

*Luiz Alexandre Castanha é especialista em Gestão de Conhecimento e Tecnologias Educacionais

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoTikTok

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.