Tião Viana depõe na Operação Santinhos, da PF

Tião Viana depõe na Operação Santinhos, da PF

Governador do Acre, petista foi convocado pela investigação que nesta terça, 11, prendeu dois deputados eleitos no Estado, Pastor Manuel Marcos e Doutora Juliana, ambos do PRB, e o suposto operador do esquema de desvio de R$ 1,5 milhão do fundo partidário e do fundo de financiamentos de campanha Thaisson de Souza Maciel

Julia Affonso

11 Dezembro 2018 | 18h51

Tião Viana. Foto: Gleison Miranda/Secom Governo do Acre

O governador do Acre, Tião Viana (PT), prestou depoimento nesta terça-feira, 11, à Polícia Federal. O petista foi convocado pela Operação Santinhos, que prendeu dois deputados eleitos no Estado, Pastor Manuel Marcos e Doutora Juliana, ambos do PRB, e o operador de um suposto esquema de desvios de R$ 1,5 milhão do fundo partidário e do fundo especial de financiamentos de campanha Thaisson de Souza Maciel, comissionado do Estado.

“Nós convocamos para prestar depoimento os secretários de Pequenos Negócios e o de Saúde além do governador para esclarecer qual o motivo da nomeação por parte do governador no dia 8 de agosto deste ano de Thaisson de Souza Maciel para ocupar um cargo em comissão na Secretaria de Pequenos Negócios. Nós queremos entender qual foi o motivo dessa nomeação de Thaisson de Souza Maciel, que é o operador desse sistema, dessa empresa de fachada, que desviou ilicitamente mais de R$ 1,5 milhão, por que ele teria sido nomeado conforme Diário Oficial”, afirmou o delegado Eduardo Augusto Maneta, da Polícia Federal.

“Gostaríamos de esclarecer por que a esposa dele também foi nomeada para um cargo em comissão, conforme o Diário Oficial do Acre, na Secretaria de Saúde. Esse seria o motivo da intimação dessas pessoas.”

Em nota, Tião Viana afirmou que ‘esteve na Polícia Federal, colaborando com a investigação da Operação Santinhos, e foi recebido de maneira muito profissional em consonância com a missão constitucional do órgão, sendo tratado com respeito e dignidade’.

“A equipe da Polícia Federal agradeceu a pronta colaboração do governador que, mesmo diante de sua prerrogativa, se propôs a ir de imediato à instituição. Para não atrapalhar a investigação, que segue em segredo de justiça, ele se reserva a não se manifestar”, declarou o petista.

O delegado relatou que ‘a Polícia Federal constatou que mais de R$ 1,5 milhão do fundo partidário e do fundo eleitoral foram desviados ilicitamente para uma empresa de fachada que estava em nome de um laranja’.

O real operador da empresa, segundo o policial, é Thaisson de Souza Maciel, ‘um operador financeiro que agia em nome e no interesse de integrantes do Partido Republicano Brasileiro, o PRB no Estado do Acre’.

“Essa empresa de fachada, para justificar esses recursos, mais de R$ 1,5 milhão, desviados do fundo eleitoral, ela emitia diversas notas frias de prestação de serviços, fictícias, que não ocorreram. Em um determinado caso, ela chegou a emitir uma nota fiscal como se tivesse confeccionado mais de 18 milhões de santinhos dos principais candidatos do PRB no Acre. Como a gente sabe, o número de eleitores no Estado é de apenas 500 mil”, narrou o delegado.

“Esse valor seria 34 vezes maior que o número de eleitores aqui do Estado do Acre. Nós constatamos que essa empresa declarava como principal finalidade a construção civil. Outras atividades sem qualquer pertinência entre si: declarava que fazia pintura, manutenção de ar condicionado, manutenção de rodovia e até mesmo comércio de balas e bombons.”

Mais de 100 policiais federais de vários estados auxiliaram no cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão em residências e gabinetes de investigados, em órgãos públicos, na Câmara de vereadores e na Assembleia Legislativa do Acre.

Também foram cumpridos 8 mandados de prisão expedidos pela Justiça Eleitoral do Acre.

COM A PALAVRA, A O GOVERNO DO ACRE

NOTA OFICIAL

O governador Tião Viana já esteve na Polícia Federal, colaborando com a investigação da Operação Santinhos, e foi recebido de maneira muito profissional em consonância com a missão constitucional do órgão, sendo tratado com respeito e dignidade.

A equipe da Polícia Federal agradeceu a pronta colaboração do governador que, mesmo diante de sua prerrogativa, se propôs a ir de imediato à instituição. Para não atrapalhar a investigação, que segue em segredo de justiça, ele se reserva a não se manifestar.

Durante o processo eleitoral deste ano, o governador Tião Viana por várias vezes procurou a Polícia Federal para falar de indícios de uma violenta compra de votos que estaria ocorrendo no Acre.

Rio Branco, Acre, 11 de dezembro de 2018
Secretaria de Estado de Comunicação do Acre

COM A PALAVRA, O DEPUTADO PASTOR MANUEL MARCOS

A reportagem fez contato com a presidência da Câmara de Vereadores de Rio Branco. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, A DEPUTADA DRA JULIANA

A reportagem tentou contato com o gabinete da deputada por meio da Assembleia Legislativa. O espaço está aberto para manifestação.

Mais conteúdo sobre:

AcreTião VianaPolícia Federal